Botucatu, quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

Cidade / Geral
06/08/2019

Parque Tecnológico Botucatu assina contrato com quatro novas empresas



Atualmente as empresas vinculadas ao Parque Tecnológico Botucatu já empregam mais de 100 funcionários e somam um faturamento anual superior a R$ 14,7 milhões 

 

Quatro novas empresas acabam de assinar contrato para instalação no Parque Tecnológico Botucatu. São elas: Arizona Ambiental e WPTEC (terrenos); Bioativa (sala + terreno); e Prime Embryo (sala). Agora já são 22 empresas instaladas no Parque, sendo 16 no prédio administrativo e outras 6 com terrenos para construção, além de outras 11 nas incubadoras.

Os novos contratos foram formalizados com a assinatura do prefeito de Botucatu, Mário Pardini; diretor do Parque Tecnológico Botucatu, Carlos Alberto Costa; Junot de Lara Carvalho, Secretário Municipal de Relações Institucionais; Daniel Lopes, secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico; e representantes das empresas. 

Atualmente as empresas vinculadas ao Parque Tecnológico Botucatu, que está na Rodovia Gastão Dal Farra km, 7+184m, já empregam mais de 100 funcionários e somam um faturamento anual superior a R$ 14,7 milhões. 

“No primeiro semestre de 2020 as empresas que receberam a concessão dos terrenos deverão iniciar as obras civis das suas unidades. Com o início de operação destas empresas o Parque Tecnológico Botucatu terá uma visibilidade maior para os moradores de Botucatu e região como um espaço de desenvolvimento e gerador de emprego e renda”, afirma o diretor Carlos Alberto Costa.

 

Novas empresas

A Arizona Ambiental desenvolve projetos alternativos para que empresas e órgãos públicos possam gerenciar resíduos sólidos de qualquer natureza. Além de dar a destinação ambientalmente correta, consegue transformar lixo em energia elétrica por meio de um processo de decomposição térmica.

“Trata-se de uma tecnologia que é utilizada fora, mas chegamos numa patente própria aqui para o Brasil. Queremos poder iniciar nossas obras ainda este ano no Parque Tecnológico, que é um espaço que se enquadra perfeitamente com a proposta inovadora da nossa empresa”, comenta Clodoaldo Antonangelo, um dos sócios diretores da Arizona.

A WPTEC fabrica produtos a partir de compostos sustentáveis como polímeros e fibras naturais. Podem ser utilizados em pisos, fabricação de móveis, entre outros projetos em substituição à madeira convencional.

“Temos a expectativa de que isso nos impulsione ainda mais na busca por esse objetivo comum: desenvolvimento de produtos e tecnologias sustentáveis e inovadoras”, comenta Célio Ereno, diretor da WPTEC.

A Bioativa trabalha com assessoria na construção de soluções tecnológicas sustentáveis para problemas ligados à produção agrícola ou à exploração racional dos recursos ambientais.

“Com aquisição dos terrenos e salas no Parque Tecnológico Botucatu, a empresa intensificará suas atividades de inovação, ampliando parcerias e sua própria equipe”, declara Maria Luiza Trindade, proprietária da Bioativa.

Já a Prime Embryo atua no segmento de fertilização in vitro de embriões bovinos, que são rastreados dentro de uma plataforma blockchain. 

“O Brasil é referência mundial em fertilização in vitro bovino, que é uma importante ferramenta de multiplicação genética. Partindo desse ponto de vista, nós acreditamos na importância da rastreabilidade do produto (alimento) desde sua origem”, comenta Sara Yamaguishi Tomita.

 










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.