Botucatu, segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

Cultura / Educação
17/09/2019

Lançada cartilha “O cotidiano das crianças e os animais do cerrado”



Publicação é resultante de um projeto de extensão homônimo, desenvolvido por meio de uma parceria entre a FMVZ da Unesp, câmpus de Botucatu, e Secretaria Municipal de Educação 

 

No dia 16 de setembro, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Hernani Donato, aconteceu o lançamento da cartilha “O cotidiano das crianças e os animais do cerrado”, publicação resultante de um projeto de extensão homônimo, desenvolvido por meio de uma parceria entre a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, e Secretaria Municipal de Educação, sob a coordenação da professora Elizabeth Moreira dos Santos Schmidt.

Realizado na EMEF Hernani Donato e na EMEF Leonor Bicudo Vizenzotto (onde o lançamento da cartilha acontecerá no dia 30 de setembro), o projeto teve como o objetivo a promoção da educação ambiental dos alunos de 1º a 5º ano, de maneira multidisciplinar e interativa, construindo coletivamente as atividades a partir das informações e vivências sobre o cerrado.

As duas escolas estão situadas em áreas típicas do cerrado. “Por esse motivo, a proposta do projeto foi fundamentada no desenvolvimento crítico da consciência em relação ao lugar em que vivem os participantes, partindo dos saberes e carências de cada professor e aluno, especialmente em questões de respeito, ética e educação ambiental para a preservação e conservação, pensando na formação do indivíduo como cidadão participativo da sua comunidade”, relata a professora Elizabeth Schmidt.

Classificado junto à Pró-reitoria de Extensão da Unesp (Proex) como um projeto de extensão de metodologias participativas, o trabalho gerou uma série de produtos elaborados pelas crianças, tais como histórias em quadrinhos, desenhos, pinturas, modelos de animais em argila e em material reciclado, redações, poesias, fichas técnicas com informações biológicas dos animais, teatros, canções e até uma enciclopédia do cerrado. Tudo produzido de maneira colaborativa e já exposto pelas escolas em eventos realizados na cidade.

Lançada agora, a cartilha apresenta uma parte do material produzido (imagens e textos), considerações sobre a metodologia de trabalho, relatos sobre a experiência de participar do projeto e o nome de todos os envolvidos: crianças, bolsistas e colaboradores.

Alguns dos relatos contidos na cartilha atestam a relevância do projeto e o sucesso da sua proposta de envolver os participantes em todas as suas etapas. “Foi bom trabalhar nesse projeto, pois sempre buscamos informações para passar aos nossos alunos”, comentou a professora Joana Maria Ferreira. “O projeto contribuiu significativamente para a ampliação do conhecimento dos alunos, professores e demais membros da nossa equipe sobre o cerrado e a preservação dos animais que habitam esse bioma. O mais relevante foi o encantamento de todos com as novas descobertas e a possibilidade de cuidar do nosso meio ambiente de maneira efetiva”, ressaltou a coordenadora pedagógica Patrícia de Sordi Lima.

Fernanda Barthelson de Moura, aluna do 2º ano de Medicina Veterinária, foi uma das bolsistas do projeto. “Me alegrou ver a importância dada pelas escolas para o estímulo à reflexão, entendimento e interação entre alunos e professores. Por conta desse cenário em que as crianças estão inseridas, foi possível estabelecer um contato e realizar um trabalho mais próximo com elas, que julgo ser de extrema relevância para a transmissão de novos conhecimentos e construção de uma consciência mais crítica”.

O projeto de extensão universitária "O cotidiano das crianças e os animais do cerrado" foi premiado como o melhor pôster na General Assembly and Annual Conference of the Marie Curie Alumni Association (MCAA), realizado na Universidade de Viena, na Áustria, em fevereiro.

O projeto foi apresentado no evento pela professora Elizabeth, que esteve no evento como presidente da seção brasileira da MCAA, rede global de pesquisadores sem fins lucrativos, política e comercialmente independente, apoiada através de financiamento da União Europeia, em parceria com instituições de pesquisa. Além do trabalho premiado, a docente do Departamento de Clínica Veterinária da FMVZ também apresentou outros dois trabalhos de pesquisa durante o evento.

Por: Sérgio Henrique Santa Rosa










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.