Botucatu, segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

Cultura / Educação
26/09/2019

Pinacoteca Fórum das Artes estreia neste sábado o projeto “Mulheres em Cena”



Serão exibidas 12 obras que dialogam com artes visuais, poesias, narrativas e performances sobre os mais diferentes eixos temáticos, como violência do corpo, racismo, imigração, criação de estereótipos e discussão do tempo

 

Neste sábado, 28, a Pinacoteca Fórum das Artes em Botucatu, na Rua General Teles, 1040 - Centro, antigo Fórum, inaugura o projeto “Mulheres em Cena”, do O Paço das Artes, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A mostra estará aberta para visitação pública a maiores de 16 anos entre os dias 28 de setembro a 27 de outubro. A entrada gratuita acontece de quarta à sexta, às 15h30 e aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h

Em sua primeira itinerância pelo interior do Estado, com apoio do Sistema Estadual de Museus de São Paulo, o SISEM,  o “Mulheres em Cena” é composto de um ciclo de vídeos com obras assinadas pelo Coletivo Cartográfico (formado por Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Galvão) e pelas artistas Cristina Elias, Grasiele Sousa, Lenora de Barros, Letícia Parente, Katia Maciel, Lia Chaia, Márcia Beatriz Granero, Milena Travassos, Musa Michelle Mattiuzzi, Paula Garcia e Regina Parra

Dentre os destaques estão o trabalho Objetos da vida cotidiana (2017), de Cristina Elias, que dá seguimento à investigação da artista sobre a identidade feminina; a videoperformance Há Mulheres, que é o quarto vídeo da série Não Quero Nem Ver (2005), de Lenora de Barros e a performance merci beaucoup, blanco!, de Musa Mattiuzzi, que, ao nomear o processo com uma saudação, propõe uma reflexão direta sobre a linguagem formal como uma ferramenta racista

No total, serão exibidas 12 obras que dialogam com artes visuais, poesias, narrativas e performances sobre os mais diferentes eixos temáticos, como violência do corpo, racismo, imigração, criação de estereótipos e discussão do tempo.

Serão exibidas as obras: acerca do fracasso das formas, do Coletivo Cartográfico; Oggetti Della Vita Cotidiana, de Cristina Elias; A situação da brasileira, de Grasiele Sousa; Há mulheres, de Lenora de Barros; Marca registrada, de Letícia Parente; Colar, de Katia Maciel; Bolas, de Lia Chaia; Minada, de Márcia Beatriz Granero; Vertigem, de Milena Travassos; Merci beaucoup, blanco, de Musa Michelle Mattiuzzi, # 3 (da série Corpo Ruído – performance), de Paula Garcia e 7.536 PASSOS (Por uma geografia da proximidade), de Regina Parra.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.