Botucatu, domingo, 20 de Outubro de 2019

Política
10/06/2019

Prefeito Bruno Covas exonera João Cury da Secretaria de Educação de São Paulo



Cury tornou-se desafeto do atual governador João Doria na campanha eleitoral em 2018, quando assumiu cargo na Secretaria Estadual de Educação, que foi entendida como apoio à campanha de Márcio França

 

Fonte: FOLHAPRESS

 

Durou pouco meses a troca na Secretaria da Educação promovida por Bruno Covas (PSDB) em São Paulo. Pressionado pelo governador e correligionário João Doria, Covas decidiu tirar seu escolhido, o ex-prefeito de Botucatu, João Cury Neto do cargo para o qual ele foi nomeado em janeiro deste ano.

O secretário de Educação tornou-se desafeto de Doria em 2018, quando decidiu aceitar o convite do então governador Márcio França (PSB) para assumir cargo na Secretaria Estadual de Educação. A movimentação foi entendida como apoio à campanha do pessebista contra Doria na campanha eleitoral. Cury foi expulso do PSDB pelo então presidente estadual da sigla, Pedro Tobias, acusado de "irrefutável transgressão ética".

Para o seu lugar o nome mais cotado é o do tucano Bruno Caetano, ex-diretor-intendente do Sebrae, próximo de uma ala tucana mais tradicional, formada por nomes como José Serra e Andrea Matarazzo (atualmente no PSD). Cury deve continuar na prefeitura em cargo menos influente, possivelmente no gabinete do prefeito. Covas pode anunciar a troca na noite desta segunda (10), durante reunião com seus secretários.

A chegada de Cury Neto à prefeitura foi cercada de polêmica. Seu antecessor, Alexandre Schneider, conseguiu ampliar as vagas de creche em meio à crise econômica, liderou o desenvolvimento do currículo da cidade e manteve com a categoria docente a boa relação que já tinha quando ocupou o mesmo cargo na gestão Gilberto Kassab (PSD), entre 2006 e 2012. A saída de Schneider pegou os docentes, o secretariado e o próprio ex-prefeito Doria de surpresa.

Cury, que é próximo de Covas, fez parte de um movimento de articulação política do prefeito, tendo em vista as eleições de 2020. Ao nomear Cury, acreditava que poderia conseguir o apoio de França e de seu partido, o PSB.

Procurada pela reportagem, a gestão Covas não se manifestou até a publicação desta reportagem. Em nota, o governador Doria disse que "o prefeito Bruno Covas tem total autonomia para tomar todas as decisões que julgar conveniente."










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.