Botucatu, domingo, 20 de Outubro de 2019

Política
04/07/2019

Ex-prefeito de Botucatu deixa a Educação e vai trabalhar no gabinete de Bruno Covas



Foto - Divulgação

João Cury assumiu a Educação em janeiro deste ano ocupando a vaga deixada por Alexandre Schneider, em cerimonial realizado no Palácio dos Bandeirantes e teve a presença dos demais secretários estaduais e educadores paulistas

 

Em evento em que participou nesta quarta-feira, dia 3, para o lançamento do Índice de Desenvolvimento da Educação Paulistana (IDEP), o ex-prefeito de Botucatu João Cury Neto, anunciou, oficialmente, sua saída do comando da pasta da Secretaria de Educação. O IDEP foi seu derradeiro ato no comando da pasta.

Nomeado pelo prefeito Bruno Covas, o ex-prefeito assumiu a Educação em janeiro deste ano ocupando a vaga deixada por Alexandre Schneider, em cerimonial realizado no Palácio dos Bandeirantes e teve a presença dos demais secretários estaduais e educadores paulistas, mas ficou pouco mais de seis meses no cargo.

A exoneração do ex-prefeito de Botucatu foi anunciada na primeira quinzena de junho, mas ele permaneceu mais um período no cargo e somente nesta quarta-feira anunciou, oficialmente, sua saída. O motivo de Cury deixar a pasta da Educação teria ocorrido em razão de pressão exercida pelo governador e correligionário João Doria.

Cury tornou-se desafeto de Doria em 2018, quando decidiu aceitar o convite do então governador Márcio França (PSB) para assumir o comando da Fundação Estadual de Educação (FDE), ligada a Secretaria Estadual de Educação. A movimentação foi entendida como apoio à campanha do pessebista contra Doria na campanha eleitoral. Por aceitar o convite de França e não apoiar Doria, Cury foi expulso do PSDB por determinação do presidente estadual Pedro Tobias, que entendeu "irrefutável transgressão ética".

Presente a este mesmo evento em que Cury anunciou seu desligamento, o prefeito Bruno Covas nega que tenha sido pressionado por Doria para fazer a exoneração. Anunciou que o ex-prefeito de Botucatu agora passa a trabalhar em seu gabinete e fará parte de todos os programas do plano municipal de metas.  Em seu discurso, chamando Cury de “irmão”, Covas enalteceu o trabalho desenvolvido na Educação paulista nos últimos meses.

A nomeação de Cury em janeiro, figura próxima de Bruno Covas, fez parte de um movimento de articulação política do prefeito, tendo em vista as eleições de 2020.  Para assumir e Educação Bruno Covas escolheu o tucano Bruno Caetano, ex-diretor-intendente do Sebrae, próximo de uma ala tucana mais tradicional, formada por nomes como José Serra e Andrea Matarazzo (atualmente no PSD).

 










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.