Botucatu, terça-feira, 17 de Setembro de 2019

04/09/2018

Educação de Bofete visa dar orientação vocacional e profissional aos alunos



Este projeto está atrelado ao Projeto da Secretaria de Estado da Educação – MMR (Método de Melhoria de Resultados) que visa promover a melhora da qualidade do ensino nas escolas públicas do Estado de São Paulo

 

 A Educação em Bofete realizou a Feira das Profissões, que visa facilitar o desenvolvimento vocacional dos estudantes e a construção de seus projetos de vida e profissional, orientando os alunos para a escolha da futura profissão com autonomia e segurança. Projeto não terá custos, visto que é trabalhado em parceria com as organizações públicas e privadas.

O propósito é auxiliar os estudantes do ensino médio a definirem e escolherem com mais segurança a futura profissão e o curso de graduação mais condizente com suas habilidades e preferências. O projeto de orientação vocacional visa auxiliar na escolha profissional, na busca da profissão ou curso universitário que mais se assemelha às suas características.

De acordo com Wanderson Luis da Fonseca, professor coordenador pedagógico da Escola Estadual “Anselmo Bertoncini”, a  ideia é proporcionar uma reflexão em torno das possibilidades de escolha e cabe a cada um dos alunos definir o caminho que melhor se enquadra em sua personalidade. “O momento da definição profissional é gerador de muitas angústias e incertezas uma vez que, provavelmente, passaremos boa parte de nossas vidas desempenhando atividades profissionais que dependerão das escolhas que fizermos”, coloca o professor.  

Ele enfatiza que a proposta de orientação vocacional profissional é muito importante considerando que há uma grande quantidade de jovens que, ao terminar o ensino médio, carecem de uma orientação para efetuar uma escolha profissional.

“A maioria dos jovens ainda se encontra duvidosa a respeito de qual profissão escolher e, muitas vezes, essas dúvidas os levam a uma má escolha. É lamentável dizer que esta é uma realidade que permeia a maioria dos jovens, neste caso, os concluintes do ensino médio. Esta questão deve ser trabalhada com esses indivíduos a fim de proporcionar a eles a possibilidade de conhecer as profissões e assim poder fazer uma escolha consciente. O mundo do trabalho é realmente complicado e por isso a escolha de uma profissão deve ser feita com confiança e também ser mediada pelo conhecimento prévio da pessoa”, ressalta Pacheco.

O coordenador pedagógico aponta que muitos jovens se encontram perdidos quando o assunto é escolher uma faculdade ou uma ocupação no mercado de trabalho. “As informações sobre as profissões que são disponibilizadas aos alunos de ensino médio, se é que isso acontece, são insuficientes para que eles se posicionem e possam se identificar com uma profissão e assim fazer uma escolha consciente”, explica Wanderson Pacheco. “Vários estudiosos enfatizam o papel das instituições educativas na orientação profissional de seus estudantes. Este projeto visa facilitar o desenvolvimento vocacional dos estudantes e a construção de seus projetos de vida e profissional, orientando os alunos para a escolha da futura profissão com autonomia e segurança”, acrescenta.

Este projeto está atrelado ao Projeto da Secretaria de Estado da Educação – MMR (Método de Melhoria de Resultados) que visa promover a melhora da qualidade do ensino nas escolas públicas do Estado de São Paulo. O principal problema levantado foi a falta de expectativa dos jovens com o futuro profissional e com os estudos, desse levantamento foi-se pensado esse projeto.

 

Objetivos Específicos

• Promover conhecimentos, ferramentas e orientações para a construção de um projeto de vida sadio e eficaz.

• Dar ênfase às bases cognitivas, atitudinais, comportamentais e emocionais necessárias ao pleno desenvolvimento humano para a definição profissional, bem como a construção da empregabilidade e da atitude empreendedora.

• Acreditar que a sustentabilidade do projeto de vida está diretamente relacionada ao autoconhecimento e ao processo de amadurecimento, que se dá por meio do desenvolvimento de competências pessoais e profissionais.

• Desenvolvimento de um processo de autoconhecimento e conhecimento diante do mercado de trabalho e das diferentes profissões.

• Orientação para fundamentar as melhores escolhas, refletindo caminhos e ampliando seus conhecimentos sobre as diferentes áreas de formação, tendo por base a importância da realização pessoal, empregabilidade e empreendedorismo.

• Identificação das principais áreas de interesse.

• Palestras com representantes e/ou profissionais de diferentes formações universitárias.

• Incentivo e orientação de visitas a Centros Universitários.

• Feira de Profissões para o enriquecimento de informações sobre diferentes universidades e cursos.

 

Etapas do projeto

1. Representações de si: descobrindo quem eu sou e do que gosto

2. Vestibulares e outras formas de acesso ao Ensino Superior

3. Profissões

4. Mercado de trabalho e campos de atuação

5. Trabalho, carreira e profissão

6. Cursos universitários e sua estrutura

“É dever da escola proporcionar aos alunos uma reflexão a cerca das escolhas de carreira e dar condições para que eles sejam capazes de enfrentar novas situações de aprendizagem e aperfeiçoamento”, conclui Pacheco.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.