Últimas Notícias

Anjos e demônios

Com certa impaciência, tenho notado que a política brasileira está sendo feita na base de anjos e demônios. Um lado – não importa se é oposição ou situação – se faz de anjo e acusa o lado oposto de demônio. São maniqueístas. Dividem o mundo entre o bem e o mal, sendo que no lado do bem só há virtudes e no lado do mal, só há defeitos. E essa guerra de maniqueísmo está se prolongando ao longo desses muitos meses de pandemia. Temo que continuará além da pandemia, sem trazer – infelizmente – nenhum bem para o Brasil. Ao final da guerra, não haverá vitoriosos. Mesmo aqueles que se acharem vitoriosos, não o serão, pois a vitória deveria ser de um Brasil melhor e mais justo, o que não ocorrerá.

A gente sabe que, na política, não há anjos. Ninguém chega lá através da completa pureza. E isso não é apenas no Brasil. O mundo inteiro, com pequenas variações, age do mesmo jeito. Demônios na política, acredito que haja alguns, mas não tantos quanto querem fazer parecer. E para ser franco, não é preciso ser anjo para ser um bom político. Vamos deixar que os anjos continuem com a sua permanente função nesse mundo de Deus: guardar a todos nós, para que corramos menos riscos. Na política, é preciso competência, honestidade e espírito público. Se um político unir essas três virtudes, basta. Não há a necessidade de que sejam anjos. Aliás, é bom que a gente desconfie bastante daqueles que se fazem anjos. Podem ser os mais demoníacos, os mais perigosos, os mais capazes de nos causar o mal.

Para usar uma terminologia antiga, não precisamos, na política e em nenhum outro lugar, de lobos com pele de cordeiros. Precisamos de pessoas que pensem menos em si próprias e mais nas pessoas que as levaram ao poder. Precisamos de políticos que pensem menos na próxima eleição e mais na real situação do país. Não deveria haver mais espaço para o político ‘rouba-mas-faz’. Não deveria haver mais espaço para o político ‘o-mundo-é-dos-espertos’. Não deveria haver mais espaço para o político ‘sou-mas-quem-não-é?’. Não deveria haver mais espaço para o político ‘eu-quero-é-me-locupletar’. Não deveria haver mais espaço para o político picaresco, que vive de se aproveitar dos outros, que tudo faz para tirar proveito próprio. Não precisa ser anjo, mas não pode ser demônio.

Infelizmente, nessa luta entre anjos e demônios, em que ambos os lados são postiços, só o povo será derrotado. E o pior de tudo é que os anjos e demônios podem sair ilesos, mas o povo, com certeza, sairá com máculas. E essa situação só mudará quando as pessoas perceberem que tanto os anjos quanto os demônios são falsos e não mais acreditarem neles. Precisamos de pessoas que pensem, não por nós, mas conosco, para podermos solucionar os grandes problemas da nação. E essas pessoas, estejam certos, não são nem anjos nem demônios.

BAHIGE FADEL

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Câmara encerra plenárias de setembro com sessões ordinária e extraordinária em 27/09

Os vereadores da Câmara de Botucatu se reúnem nesta próxima segunda-feira (27/09) para deliberar projetos em sessão ordinária e extraordinária. ...