Home > Coluna Bahige Fadel > Assim é Fácil

Assim é Fácil

Há muito tempo, tenho ficado ressabiado com certa forma de governar. E não estou falando de governadores de esquerda ou de direita. Estou falando de todos ou, pelo menos, da maioria. Parece que a única saída para a crise é o aumento de impostos e/ou a retirada de vantagens adquiridas. Está faltando dinheiro? Aumentem-se os impostos. A Previdência está falida? Aumentem-se os impostos e retirem-se as vantagens. Assim é fácil. Qualquer um é capaz de governar desse jeito. Só que, fazendo isso, além de prejudicar a população, cria-se apenas uma solução temporária, pois, se a estrutura não foi melhorada, num futuro próximo a falta de dinheiro voltará a ocorrer. Para solucionar o novo problema, o que é que os governos farão? Aumentarão os impostos e/ou retirarão vantagens adquiridas, se é que ainda existirão as vantagens. E fica um círculo vicioso que não se completa nunca e nunca trará uma solução definitiva para o problema.

Recentemente, foi aprovada a reforma da previdência do governo do estado de São Paulo. A base da reforma qual foi? O aumento da alíquota de contribuição previdenciária passou de 11% para 14%. Indiscriminadamente. Não há distinção entre os que ganham mais e os que ganham menos. O funcionário que ganha R$ 2.000,00 por mês contribuía com R$ 220,00; agora passará a contribuir com R$ 280,00. Já o funcionário que ganha R$ 20.000,00 por mês contribuía com R$ 2.200,00. Agora, passará a contribuir com R$ 2.800,00. Eu pergunto: o que fará mais falta? Os R$ 60,00 acrescidos à contribuição do funcionário que ganha R$ 2.000,00 ou os R$ 600,00 acrescidos à contribuição do funcionário que ganha R$ 20.000,00? Garanto que são os R$ 60,00.

Mas não é só isso. Está certo que mexeram em algumas coisas que podiam gerar maracutaias e injustiças, principalmente no caso das pensões. Mas mesmo aí cometeram várias injustiças. Não li nada, por exemplo, a respeito de salários monstruosos, conseguidos não sei de que maneira, que geram aposentadorias igualmente monstruosas. Por que será que não colocam a mão nessa ferida? No funcionalismo público – isso já foi provado – existem salários muito acima do que ganha o governador ou o presidente da república. E a gente sabe que isso é ilegal. Mas ninguém cita esse problema, porque mexe com pessoas importantes. Ninguém fala também em otimizar o serviço público. Deve ser muito trabalhoso. É mais fácil

aumentar o percentual de 11% para 14%, e pronto! Está resolvido. E devem ter contratado, por uma fortuna, uma importante empresa para fazer esse trabalho. Moleza!

Bahige Fadel

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Hospital das Clinicas de Botucatu atualiza informações sobre o Coronavirus

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) torna público o boletim sobre as informações do COVID-19 ...