Economia

Sabesp vai reajustar as tarifas em 6,45%; ações sobem

A companhia de saneamento Sabesp (SBSP3) vai poder aumentar as tarifas vigentes em 6,4469%, conforme autorização dada pela Arsesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de São Paulo), segundo informou a companhia nesta segunda-feira à noite (8).

O reajuste foi autorizado juntamente com a divulgação de uma nota técnica. A Sabesp acrescentou que a deliberação com as novas tabelas tarifárias será publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo e passará a vigorar a partir de 10 de maio de 2024.

Esse reajuste está acima da inflação do período, que foi de 4,5%. Na definição do reajuste, a agência reguladora leva em conta fatores como ganho de escala e expurgo de ajustes passados. A Arsesp, no entanto, não aceitou a sugestão da Sabesp de incluir no reajuste o efeito dos descontos tarifários dado a grandes consumidores.

A Sabesp, segundo os documentos apresentados, oferece cerca de R$ 800 milhões em descontos e gostaria de incluir cerca de R$ 420 milhões nas tarifas. Na visão da agência reguladora, essa política incentiva os grandes consumidores a demandarem mais água, o que impulsiona o volume de vendas da Sabesp. Também ficou de fora uma compensação por diferenças entre o valor que a Arsesp calculou que seria vendido e o que efetivamente foi executado.

Ações da Sabesp (SBSP3) com reajuste tarifário

Após o comunicado sobre o reajuste tarifário, as ações da Sabesp (SBSP3) sobem 0,60%, cotadas a R$ 85,01. Na máxima da sessão, a ação foi a R$ 85,40.

Na avaliação dos analistas do Bradesco BBI, o reajuste foi positivo para a Sabesp. “Em última análise, o reajuste tarifário anual ficou acima da inflação, o que em geral é algo que para uma empresa pública é sempre positivo de ver. Notadamente, caso a Sabesp seja privatizada (nosso cenário base é que isso acontecerá em julho ou agosto), o reajuste tarifário anual de 2024 será aplicado, em tese, até 1º de janeiro de 2026″, conforme relatório divulgado nesta manhã.

Em relação aos itens que ficaram de fora do reajuste tarifário, que somam cerca de R$ 800 milhões (4% das vendas líquidas da Sabesp em 2023), os analistas avaliam que esses temas serão abordados no processo que definirá a revisão tarifária inicial após a privatização.

Fonte: InfoMoney

Seguro DPVAT deve voltar a ser cobrado a partir de 2024

DPVAT, seguro obrigatório de veículos automotores terrestres, deve voltar a ser cobrado.

No final do ano passado, o governo federal encaminhou à Câmara o PLP (Projeto de Lei Complementar) 233/2023 que recria o seguro. Agora, ele pode ser analisado pelos deputados nesta semana.

+ DPVAT: governo recria seguro obrigatório para vitimas de trânsito e texto vai para Câmara

Como estava o DPVAT?

Destinado às vítimas de acidentes de trânsito em território nacional, o DPVAT não era cobrado desde 2021 devido a um excedente pago pelos próprios proprietários de veículos ao longo dos anos.

Ele é operado por meio de modelo emergencial e transitório pela Caixa Econômica Federal, após a dissolução do consórcio que funcionava em sua gestão desde 2008.

O que propõe o projeto?

O texto do projeto propõe a criação de um novo arcabouço para o seguro obrigatório, que passará a ser denominado como SPVAT (Seguro Obrigatório de Proteção de Vítimas de Acidentes de Trânsito).

Desta maneira, a proposta cria um novo modelo para o funcionamento do seguro, que será garantido por um fundo privado e formado pelos pagamentos dos proprietários de automóveis, sendo que a Caixa seguirá como operadora.

O seguro SPVAT vai cobrir casos de morte e invalidez permanente, total ou parcial. Os valores serão estabelecidos via decreto do presidente da República.

Segundo o governo, “a urgência na tramitação do projeto é justificada pela inexistência de cobertura para sinistros ocorridos após 31 de dezembro de 2023”.

Fonte: ISTOÉ

Foto: Divulgação

Brasil cria 306 mil empregos formais em fevereiro, aumento de 21%

O Brasil criou 306.111 empregos com carteira assinada em fevereiro de 2024. O número é resultado da diferença entre 2.249.070 admissões e 1.942.959 demissões registrados no mês. Ele representa um avanço de 53.624 vagas (uma elevação de 21,2%), sobre o total de 252.451 postos formais abertos em fevereiro de 2023. Os dados fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quarta-feira (27/3) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O número de novos empregos ficou acima da estimativa do mercado, que previa um avanço de cerca de 230 mil vagas. Com isso, o total de postos acumulados no ano registrou um saldo de 474.614 vagas, ficando positivo em quatro dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas.

Em fevereiro, esses cinco grupamentos registraram saldos positivos, com destaque para o setor de serviços (+193.127) e a indústria (+54.448). A criação de postos também aumentou na construção (+35.053), no comércio (+19.724) e na agropecuária (+3.759).

Nos estados

Em 24 das 27 unidades da Federação foram registrados saldos positivos. Os maiores foram verificados em São Paulo, que gerou 101.163 postos (+0,7%), com destaque para o setor de serviços (+67.750); Minas Gerais, que criou 35.980 postos (+0,8%); e Paraná, com 33.043 postos a mais (+1,1%).

No acumulado de janeiro e fevereiro de 2024, em quatro dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas ocorreram saldos positivos. O maior crescimento do emprego formal deu-se no setor de serviços, com saldo de 268.908 postos formais de trabalho (56,7% do saldo).

Mobi-Rio visita fábrica da Caio em Botucatu após aquisição de 30 ônibus

Três funcionários foram designados para a visita, que acontece nesta quinta e sexta-feira, dias 14 e 15 de março

A Secretária Municipal de Transportes da cidade do Rio de Janeiro designou três funcionários para uma visita técnica à fábrica da Caio Induscar em Botucatu (SP) nesta semana, nos dias 14 e 15 de março, quinta e sexta-feira.

Os servidores irão conhecer a planta da encarroçadora, com a finalidade de colher detalhes técnicos dos 30 ônibus adquiridos no valor total de R$ 43,5 milhões (valor unitário de R$ 1,45 milhão).

A Caio venceu o lote 1 do Pregão Eletrônico realizado no final de dezembro de 2023 destinado à aquisição de 85 ônibus para o BRT carioca.

A previsão é que os veículos sejam entregues entre maio e julho de 2024.

Para os outros dois lotes a Marcopolo foi a vencedora do certame, num total de 55 ônibus. Desses 55 ônibus 30 deles foram arrematados pelo valor total de R$ 42,9 milhões (valor unitário de R$ 1,43 milhão), e 25 ônibus no valor de R$ 35,75 milhões (valor unitário de R$ 1,43 milhão).

Os veículos comprados são do tipo Ônibus Padron, com capacidade mínima de 80 passageiros, tecnologia diesel, padrão Proconve P-8 (EURO VI).

Todos os 85 ônibus serão utilizados na frota do serviço público de transporte coletivo no Sistema Bus Rapid Transit – BRT.

Com o resultado desta licitação, chega a 713 o número de ônibus comprados pela Prefeitura para a recuperação do sistema BRT.

Atualmente, há 427 novos ônibus operando nos três corredores (Transoeste, Transolímpica e Transcarioca). Todos os antigos articulados azuis foram retirados definitivamente de circulação.

Fonte: Diário do Transporte

Imagem Ilustrativa

Apicultor aumenta produção em 200% em apenas cinco meses

Duplicar a produção de mel em cinco meses, fazendo o manejo correto da cultura. O apicultor Luan Brito, terceira geração de produtores, apostou no Programa Apicultura, do SENAR-SP, para mudar a sua realidade;

Segundo ele, 95% do que fazia estava errado. O manejo correto da colmeia possibilitou o crescimento da produção em 200%;

A expectativa é que o filho, Raul, de cinco anos, que acompanha o dia a dia do pai, continue com a tradição;

O coordenador do Sindicato Rural de Taguaí, Marcelo de Azevedo, reforça que o curso é transformador e realizado na própria fazenda do produtor rural;

Para o presidente eleito do sistema FAESP/SENAR, Tirso Meirelles, o curso oferecido pelo SENAR serve não apenas para aqueles que já produzem mel, mas, principalmente, para quem deseja investir com segurança num novo mercado;

O Programa Apicultura, do SENAR-SP, possui seis módulos que são aplicados em cinco meses, em que se aprende o correto manejo na criação de abelhas;

Módulos: Implantação do apiário (I), Produção de mel e aproveitamento de cera (II), produção de pólen (III), produção de geleia real e rainhas  (IV), produção de própolis (V) e Gestão da propriedade (VI);

Segundo dados da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a cadeia produtiva do mel movimenta anualmente no Brasil mais de R$ 950 milhões;

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2022 a produção atingiu o recorde de 61 mil toneladas de mel, com crescimento de 9,5%;

O Estado de São Paulo é principal consumidor de produtos apícolas do país (mel, própolis e geleia real), conta com pouco mais de mil propriedades que produzem cerca de 4,8 mil toneladas de mel por ano.

Entre os dias 15 e 17 de Março acontecerá em Avaré, no Estacionamento da FaculdadeEduvale (Avenida Prof. Misael Eufrásio Leal, 310 – Avaré), a 3ª Feira de Apicultores e Meliponicultores do Estado de São Paulo

 

MegaFeirão Serasa para renegociar dívidas começa nesta segunda 04/03

O governo federal e a Serasa promovem a partir desta segunda-feira (4) o MegaFeirão Serasa e Desenrola para a renegociação de dívidas. São mais de 700 empresas participantes e 500 milhões de oferta.

Os interessados podem acessar as ofertas através das plataformas digitais do Desenrola Brasil e da Serasa até o dia 28 deste mês. O evento também será realizado presencialmente em São Paulo, no Palácio dos Correios, no centro histórico da capital, das 10h às 18h.

A mobilização terá participação de bancos, financeiras, comércio varejista, operadoras de telefonia e securitizadoras, com descontos de até 96% do Desenrola Brasil e possibilidade de parcelamento em até 60 vezes, com juros de 1,99% ao mês.

Concessionárias de água e energia também fazem parte do feirão para facilitar a quitação de contas básicas.

As plataformas do Desenrola Brasil e da Serasa foram integradas em fevereiro para a última etapa do programa, que será encerrado no próximo dia 31.

Saiba como se cadastrar

Além de ser acessado pela plataforma do Serasa, a consulta do Desenrola pode ser é realizada diretamente no portal do governo federal.

  1. Acesse www.gov.br
  2. Selecione “Entrar com gov.br”
  3. Digite seu CPF e clique em “Continuar” para criar ou alterar sua conta

Ao realizar o cadastro, o cidadão preenche um formulário simples e seus dados podem ser validados na Receita Federal ou no INSS.

O cadastro também pode ser realizado em uma Agência do INSS ou nos postos do Senatran.

O formulário garante acesso ao nível Bronze, que pode ser usado para acessar o Desenrola desde dezembro.

As categorias mais altas se distinguem por assegurar melhor a identidade do cidadão por meio do fornecimento de mais dados em seu cadastro.

Para subir para o nível Prata, o cidadão deve realizar uma biometria facial com a CNH ou ser servidor público federal. Uma alternativa é realizar o login por um dos bancos credenciados.

É necessário ter o número de telefone cadastrado no banco para recebimento do SMS de confirmação do acesso.

Já a conta Ouro exige o reconhecimento facial pelo aplicativo para conferência da sua foto nas bases da Justiça Eleitoral (TSE).

A validação também pode ser feita a partir do QR Code da sua Carteira de Identidade Nacional ou com Certificado Digital compatível com ICP-Brasil.

Como acessar a plataforma

  • Na plataforma, o usuário deve acessar a aba “negociar dívidas da faixa I com o programa Desenrola Brasil”;
  • Na página seguinte, clique no botão verde “iniciar”;
  • Em seguida, acesse “minhas dívidas”.

Dados da Fazenda apontam que 12 milhões de pessoas já foram beneficiadas pelo Desenrola Brasil, com negociação de R$ 36,5 bilhões em dívidas.

A faixa 1 contempla pessoas com renda de até dois salários mínimos ou inscritas no CadÚnico. Ela engloba as dívidas que tenham sido negativadas entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022, e não podem ultrapassar o valor atualizado de R$ 20 mil cada (valor original de cada dívida, sem os descontos do Desenrola).

A plataforma permite a renegociação até mesmo com bancos em que a pessoa não tenha conta, podendo escolher aquele que oferecer a melhor taxa na opção de pagamento parcelado.

Playcenter deve virar “Fantástica Fábrica de Chocolate”, diz Alê Cost

Alê Costa, fundador da Cacau Show, surpreendeu o mercado ao anunciar no início da semana seu mais novo passo nos negócios: a compra do Grupo Playcenter. A operação, que não teve o valor revelado, ainda precisa ser aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

A ideia do empresário é inaugurar um parque com o tema “chocolate” em São Paulo,  Alê gosta de ressaltar que toda a operação da marca é focada no cacau. O Playcenter já foi o maior parque da América Latina, mas fechou as portas em 2012. Hoje, o grupo têm parques indoor em alguns shoppings, cuja operação também será assumida pela Cacau Show.

Por que um parque de diversões?

É uma conjunção de fatores. Nosso propósito é viver para juntos tocar a vida das pessoas, criando momentos memoráveis. Parque tem tudo a ver com isso, é a mesma coisa que o chocolate que um pai compra para o filho, para a esposa, é um instrumento de criar memórias afetivas, é um instrumento de conectar pessoas.

É o que a gente faz da vida. Então, a gente está muito além de misturar açúcar com cacau e leite, né? Aliás, a gente misturou cacau com leite e pouco de açúcar, somos a empresa que tem o menor índice de açúcar no mercado hoje dentro do chocolate.

Então, o negócio do parque foi meio óbvio para a gente, porque a gente saiu da loja de 25 metros, 50, 100, 200, e temos uma de 3 mil aqui [na fábrica em Itapevi] com carrossel, depois com uma montanha russa.

A gente está vendo que o cliente quer ficar mais na loja. A gente está sendo multado pela CCR porque a gente está parando a estrada aos domingos, a gente está recebendo 7 mil pessoas por dia dia aqui na nossa loja.

Cacau Show é a expressão de uma visão de mundo. E parque é natural, lugar de você criar experiência afetiva, lugar de contar história. Nós temos duas histórias incríveis. Nós temos a história do chocolate, que foi tema de carnaval da Rosas de Ouro em 2010; eu escrevi um livro sobre isso.

Fonte: UOL

Shopping Amando cria mais de 400 vagas de emprego em Botucatu

Um dos mais aguardados empreendimentos do centro-oeste paulista, o Shopping Amando vai criar mais de 400 vagas de emprego, contribuindo com a economia da cidade.

Algumas vagas já foram preenchidas e os funcionários estão em treinamento, mas ainda há opções nos cargos de:

-Atendente

-Operador de caixa

-Vendedor

-Chapeiro

-Cozinheiro

-Saladeiro

-Churrasqueiro

-Gerente Sênior

-Gerente júnior

Os interessados devem enviar currículos para o e-mail shoppingamando816@gmail.com

 

Outras oportunidades

Muitas vagas também estão sendo criadas de forma indireta, através de empresas parceiras do Shopping Amando.

Neste caso, para se candidatar é necessário realizar o cadastro no site da JCP Recursos Humanos.  Acesse o site www.jcprh.com.br, clique em VAGAS e faça seu cadastro.

As vagas disponíveis são:

Auxiliar de Limpeza – Código 1859

Porteiro(a)/Controlador de Acesso – Código 1861

Bombeiro Civil – Código 1862

Auxiliar de Manutenção Predial – Código 1863

Encarregado de SG – Código 1864

 

O Shopping Amando

As obras do Shopping Amando seguem em fase de acabamento e a data de inauguração será divulgada em breve.

O empreendimento tem o compromisso de trazer qualidade e modernidade para a região, proporcionando uma experiência de compras e lazer diferenciada, através de lojas renomadas e sofisticadas.

O local se tornará um ponto de encontro e lazer das famílias, no coração da cidade.

No total serão 65 operações, distribuídas em quatro pisos, incluindo uma completa Praça de Alimentação com marcas renomadas, Sport Bar e Wine Bar.

O local conta ainda com dois elevadores panorâmicos, escada rolante, quiosques, franquias de moda e acessórios, além de um andar exclusivo de multimarcas.