Saúde

Projeto do Instituto Biociências de Botucatu (IBB), chega a evento de games em São Paulo

No final de junho, por meio da iniciativa ECO-GAME: Floresta Amazônica, o Instituto de Biociências de Botucatu (IBB) da Unesp – Câmpus de Botucatu marcou presença no Gamescom Latam, no estande HUB INTERATIVO da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Representando a Agência Unesp de Inovação (AUIN), a professora Lígia Souza Lima Silveira da Mota, docente do Departamento de Ciências Químicas e Biológicas do IBB, esteve no evento divulgando o ECO-GAME: Floresta Amazônica, um projeto de Extensão Universitária realizado com alunos bolsistas PROEX-Unesp e Iniciação Científica PIBIC e FAPESP.

O evento, realizado de 26 a 30 de junho no São Paulo Expo, é uma fusão da gamescom, maior evento de games do mundo, com o BIG Festival, maior festival de games da América Latina, e contou com inúmeros estandes de tecnologia e games durante toda a programação. “Para mim foi uma experiência única. Nunca havia me imaginado neste universo de games e, de repente, estava eu lá!”, compartilha Lígia.

A professora Lígia esteve presente no dia 28 de junho, disponibilizando o aplicativo do jogo ECO-GAME: Floresta Amazônica para que o público pudesse conhecer. “Quando passava um jovem estudante, eu o convidava para jogar. O convite era aceito tranquilamente pelos jogadores!”, afirma a professora.

Conheça o ECO-GAME: Floresta Amazônica

Criado em um projeto de Extensão Universitária do IBB, o ECO-GAME: Floresta Amazônica é uma iniciativa que visa abordar a metodologia ativa de ensino para o ensino fundamental II, por meio de um jogo educativo multijogador para computador e celular, abordando a temática “Biologia da Conservação da Floresta Amazônica”. O jogo foi desenvolvido em parceria com o grupo de Extensão Fellowship of the Game (FoG), vinculado ao Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP).

Com a missão de conscientizar e informar, o jogo foi desenvolvido com dois principais objetivos: educar os jovens a respeito da Floresta Amazônica, informando sobre o bioma amazônico, responsável por representar o principal ecossistema do mundo e a sua importância na regulação de clima, chuvas, biodiversidade e riqueza faunística e florística; e conscientizar a população sobre a degradação que a Floresta Amazônica vem sofrendo na última década, o impacto das ações humanas neste cenário, o papel fundamental da sociedade para o equilíbrio da tríade homem-animal-ambiente e expor ações efetivas para combater este cenário.

Para atrair o interesse dos mais jovens para a temática, o projeto de Extensão Universitária do IBB intitulado ‘ECO-GAME: Floresta Amazônica – Metodologia ativa de ensino para o ensino fundamental II’ tem como público-alvo os estudantes do ensino médio, de 12 a 15 anos. “O jogo atrai a atenção dos jovens e abre uma oportunidade para discussões sobre responsabilidade social, importância do bioma e como preservá-lo”, afirma Lígia.

Pães de forma têm álcool detectável no bafômetro, aponta pesquisa

Três marcas frequentes nas prateleiras de supermercados (Visconti, Bauducco e Wickbold 5 zeros) tiveram resultados que, segundo a Proteste, podem aparecer num teste de bafômetro.

Além dessas, a análise avaliou as marcas Wickbold Sem Glúten, Wickbold Leve, Panco, Seven Boys, Wickbold, Plusvita e Pullman. Apenas essas duas últimas foram aprovadas em todos os testes de identificação de teor alcoólico.

Se os pães fossem considerados bebidas, seis seriam considerados alcoólicos pela legislação que determina que teor máximo de etanol é de 0,5%. A Visconti apresentou resultado mais de seis vezes maior. Segundo a Proteste, as marcas deveriam conter o aviso “contém álcool”.

  • Visconti 3,37%
  • Bauducco 1,17%
  • Wickbold Sem Glúten 0,89%
  • Wickbold Leve 0,52%
  • Panco 0,51%

A análise aponta ainda que se os produtos Visconti, Bauducco, Wickbold 5 zeros, Wickbold Sem Glúten, Wickbold Leve, Panco, Seven Boys e Wickbold fossem medicamentos fitoterápicos, estariam sujeitos a advertência alcoólica, caso houvesse uma legislação similar a categoria. Os níveis ultrapassam a dose de álcool permitida para crianças.

Fonte: CNN

Foto: Reprodução

Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente

A partir desta quarta-feira (10), 95% dos medicamentos e insumos fornecidos pelo Programa Farmácia Popular passam a ser distribuídos de forma gratuita. De acordo com o Ministério da Saúde, remédios para tratar colesterol alto, doença de Parkinson, glaucoma e rinite, por exemplo, já podem ser retirados de graça em unidades credenciadas.

A lista completa de medicamentos e insumos disponibilizados pode ser acessada aqui. Já a lista de farmácias e drogarias credenciadas ao programa pode ser acessada aqui. A expectativa da pasta é que cerca de 3 milhões de pessoas que já utilizam o programa sejam beneficiadas. “Em média, isso pode gerar uma economia para os usuários de até R$ 400 por ano”.

Entenda

O Farmácia Popular oferta, atualmente, 41 itens entre fármacos, fraldas e absorventes. Até então, somente medicamentos contra diabetes, hipertensão, asma e osteoporose, além de anticoncepcionais, eram distribuídos de forma gratuita.

Para os outros remédios e insumos, o ministério arcava com até 90% do valor de referência e o cidadão pagava o restante, de acordo com o valor praticado pela farmácia. Com a atualização, 39 dos 41 itens de saúde distribuídos podem ser retirados de graça.

O programa

O Farmácia Popular foi criado em 2004 com o objetivo de disponibilizar medicamentos e insumos de saúde. No ano passado, passou a incluir remédios para osteoporose e anticoncepcionais e, este ano, adotou também a distribuição de absorventes para pessoas em situação de vulnerabilidade e estudantes da rede pública.

Dados do governo federal indicam que o programa está presente em 85% dos municípios brasileiros, cerca de 4,7 mil cidades, e conta com mais de 31 mil estabelecimentos credenciados em todo o país, com capacidade para atender 96% da população brasileira. “A expectativa do Ministério da Saúde é universalizar o programa, cobrindo 93% do território nacional”.

“Já foram credenciadas 536 novas farmácias em 380 novos municípios de referência do Programa Mais Médicos, com 352 cidades do Norte e Nordeste recebendo a primeira unidade cadastrada. Para alcançar a meta, o credenciamento de novas farmácias e drogarias foi aberto em 811 cidades de todas as regiões do país, com prioridade para os municípios que participam do Mais Médicos – uma estratégia que visa a diminuição dos vazios assistenciais.”

Fonte: Agência Brasil

Hemocentro informa horário de funcionamento durante feriado da Revolução Constitucionalista

O Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) comunica o expediente da coleta e doação de sangue durante o feriado estadual da Revolução Constitucionalista de 1932.

No próximo sábado, 6 de julho, não serão realizadas doações de sangue no Hemocentro em Botucatu, em virtude da realização de uma coleta externa na cidade de Itaí. Haverá apenas doações de plaquetas com agendamento prévio.

Nos dias 8 e 9 de julho (segunda e terça-feira), devido ao feriado, o Hemocentro estará fechado. A partir de quarta-feira, 10, o horário de atendimento seguirá normalmente: de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h30, e aos sábados, das 7h às 12h.

O Hemocentro precisa de doações de todos os tipos sanguíneos e de plaquetas. Saiba mais informações pelos telefones (14) 3813-6931 ou (14) 3811-6041 (ramal 225), ou pelo WhatsApp (14) 99624-7055 / (14) 99631-5650.

Polícia Federal investiga fraudes em sistema de vacinação do Ministério da Saúde

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (4) a segunda fase da Operação Venire, que apura a existência de associação criminosa responsável por inserir dados falsos de vacinação contra a covid-19 no sistema de informação do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), ambos do Ministério da Saúde.

Em nota, a corporação informou que estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão emitidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), contra agentes públicos vinculados ao município de Duque de Caxias (RJ). Segundo a PF, eles seriam responsáveis por viabilizar a inserção de dados falsos de vacinação no sistema.

“A ação tem como objetivo ainda buscar a identificação de novos beneficiários do esquema fraudulento”, completou a corporação no comunicado. Estão sendo cumpridos, ao todo, dois mandados, nas cidades do Rio de Janeiro e de Duque de Caxias.

Entenda

A primeira fase da Operação Venire foi deflagrada em maio do ano passado. À época, o ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, tenente-coronel Mauro Cid Barbosa, foi preso. Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido pela PF na residência do ex-presidente, em Brasília.

A operação investiga a adulteração no cartão de vacina de Bolsonaro, da filha do ex-presidente, Laura, e de Mauro Cid. A imunização teria sido feita na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Parque Peruche, em São Paulo, no dia 19 de julho de 2021.

De acordo com a prefeitura de São Paulo, apesar de haver registro no sistema com o CPF de Bolsonaro, a UBS nunca atendeu o ex-presidente, nem recebeu o lote da vacina citado no registro. Além disso, a profissional registrada como vacinadora nunca trabalhou na unidade mencionada.

Ainda à época, o Ministério da Saúde informou que todas as informações inseridas no sistema de registro de imunizações do Sistema Único de Saúde (SUS) são rastreáveis e feitas mediante cadastro. Segundo a pasta, não houve relato de invasão externa ou de acesso sem cadastro ao sistema no período investigado pela PF.

Fonte: Agência Brasil 

A cada dez vítimas de estupro, quatro são crianças ou adolescentes negras

Cerca de 40% das vítimas de estupro no Brasil são crianças ou adolescentes negras — o dobro da incidência registradas com meninas brancas. Os dados foram reunidos em um estudo feito pelo Núcleo de Estudos Raciais do Insper, com base em informações Sistema Nacional de Atendimento Médico do Ministério da Saúde.

Houve também um aumento de denúncias de casos por vítimas negras de 2010 a 2022, número esse maior do que em outros grupos sociais. O total de registros de estupro no país passou de 7.617 para 39.661 nos anos mencionados. As mulheres negras eram 48,4% das vítimas em 2010 e passaram a ser 60% em 2022. As brancas passaram de 38,1% para 33,3%.

Quando tratadas apenas as crianças e adolescentes, a diferença racial é um pouco maior. Nesta faixa etária, as vítimas negras em 50,6% do total em 2010, e as brancas, 34,6%. Em 2022, pretas e pardas passaram a ser 61,9% e as brancas, 30,8%.

Para Alisson Santos, a vulnerabilidade socioeconômica é um dos fatores que deixa as mulheres negras mais expostas a esse tipo de crime, sobretudo quando cometidos dentro do ambiente doméstico. “Elas têm menos acesso ao mercado de trabalho e recebem salários menores, o que faz com que tenham uma maior dependência em relação a parceiros”, disse à Folha de S. Paulo.

Nascimento, que também integrou a pesquisa, ressalta o duplo risco sofrido pelas vítimas. “São várias camadas de vulnerabilidades, alimentadas pelo racismo e pelo machismo”, expôs.

Fonte: Correio
Brasiliense Foto: Reprodução

Instituto de Biociências de Botucatu (IBB), recebe Técnica Bioquímica de Portugal

Na última semana, o Instituto de Biociências de Botucatu (IBB) da Unesp – Câmpus de Botucatu, recebeu a visita de Ana Paula Ribeiro, Técnica Superior do Laboratório de Bioquímica da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Portugal. O objetivo da visita foi conhecer as estruturas de ensino, pesquisa e extensão da universidade e discutir sobre o papel da Unesp no âmbito da Agenda 2030, que aborda os 17 objetivos da ONU – Projetos Sustentáveis e os ODS.

Além da troca de experiências, Ana Paula apreciou as práticas adotadas pelo IBB para a melhoria da acessibilidade e inclusão social, focados no ODS 10, fazendo questão de expor seu contentamento com o histórico da universidade em relação à presença feminina nos setores de liderança e igualdade de gênero.

Ao unir o desejo de visitar seu país natal e ampliar suas experiências profissionais, Ana Paula foi orientada pela Reitoria da Unesp a escolher o Câmpus de Botucatu para realizar o seu intercâmbio, pois o IBB poderia recepcioná-la da melhor forma devido a sua área de atuação.

Após reuniões à distância para a organização de todos os documentos necessários, Ana Paula enviou a candidatura para o Programa de Mobilidade ERASMUS +, uma organização de educação que visa oferecer oportunidades de estudo, estágios e novas experiências para milhares de jovens europeus.

Ao ser aprovada, Fábio Sugano, do Escritório Regional de Apoio à Pesquisa e Internacionalização (Erapi) do IBB, organizou uma programação completa para recebê-la, incluindo visitas a diversas estruturas de pesquisa e departamentos do Câmpus.

Conhecendo o IBB

Assim que Ana Paula iniciou sua visita ao Câmpus de Botucatu, visitou as Centrais de aula, Laboratórios de Microscopia, Laboratórios de Química, e conheceu os departamentos do IBB, tecendo grandes elogios à sala do futuro.

Durante a sua trajetória pelo Câmpus, Ana Paula conheceu o Herbário Botu e o Jardim Botânico, percurso orientado pelo técnico Henrique Borgatto de Almeida Dias. A visita a deixou impressionada pela ampla diversidade que o instituto possui.

Na sequência, a técnica conheceu o Centro de Isótopos Estáveis Prof. Carlos Ducatti (CIE), onde acompanhou a rotina de trabalho de Cibele Regina de Souza Kruliski, Assistente de Suporte Acadêmico II, Juliana Célia Denadai, pós-doutoranda do IBB e outros técnicos que atuam no centro, visando entender como são gerenciados os equipamentos multiusuários, seja na prestação de serviços para a universidade ou empresas.

Ao passar pelos Centro de Microscopia Eletrônica (CME), foi recepcionada pela Shelly Favorito de Carvalho, Assistente de Suporte Acadêmico IV, e pela professora Daniela Carvalho dos Santos, docente do Departamento de Biologia Estrutural e Funcional e líder do CME, um dos pontos de maior interesse nessa visita.

Foi um momento de muita partilha, já que as técnicas apresentaram a rotina de trabalho e o manejo dos equipamentos, ao mesmo tempo em que Ana Paula também compartilhou seu conhecimento sobre as áreas de ensino e pesquisa na sua faculdade.

A visita pelo IBB se encerrou com a passagem pelo Laboratório de Fitomedicamentos (LabFit), sob a companhia do professor Dr. Luiz Claudio Di Stasi, docente do Departamento de Biofísica e Farmacologia e responsável pelo laboratório, onde Ana Paula também trocou experiências sobre os procedimentos laboratoriais.

Ao final da semana, Ana Paula reforçou o agradecimento pela oportunidade e deixou um convite para todos os colegas que desejam conhecer a Universidade do Porto: “Estão todos convidados. Agradeço pelo carinho e recepção, a visita foi muito enriquecedora e superou as minhas expectativas através dos conhecimentos técnicos compartilhados pelos docentes do IBB. Espero poder regressar numa próxima oportunidade”, finalizou Ana Paula Ribeiro.

Campanha de vacinação contra a Influenza é prorrogada até 14 de julho

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) de São Paulo anunciou, nesta quinta-feira (27), a prorrogação da temporada de vacinação contra a influenza em todo o estado até o dia 14 de julho. A vacina está disponível para toda a população a partir dos seis meses de vida, não apenas aos grupos prioritários.

Para se vacinar, basta ir até uma Unidade de Saúde levando a caderneta de vacinação e um documento pessoal (CPF). O documento é necessário para que os profissionais de saúde localizem o cadastro no sistema de informação.

No entanto, não ter a caderneta de vacinação em mãos não é impeditivo para tomar as vacinas.

Todas as Unidades de Saúde do Município funcionam de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, e as Salas de Vacinação Noturnas no CSE Vila dos Lavradores (Rua Dr. Gaspar Ricardo, 181 — Vila dos Lavradores) e CSI (Rua Rafael Sampaio, 58 — Centro) das 18h às 21h30.

O objetivo é que a cobertura vacinal seja ampliada. “A prorrogação é de extrema importância para incentivar que toda a população possa se proteger” diz a Chefe de Divisão da Vigilância Epidemiológica, Heloisa Bassetto.

A Meta da Campanha é de 90%, mas até o momento Botucatu vacinou 49%.

Imunização é a principal forma de prevenção contra a doença.

Mais informações:
Secretaria Municipal de Saúde
Telefone (14) 3811-1100
Rua Major Matheus, 07 — Vila dos Lavradores

Foto: Marcelo Camargo