É preciso paz

Pessoal, a gente precisa de paz para viver. Qualquer um precisa. Não é possível viver em constante turbulência. A gente precisa de uma noite bem dormida. A gente precisa de um dia bem vivido. A gente precisa ter um tempo para a gente mesmo, para o nosso lazer, para o nosso prazer. Não é justo ter que viver constantemente o que os outros aprontam para tirar o sossego da gente. Não é possível. Esse tipo de vida não é vida.

O que a gente fez de errado para ter que conviver com esse corona vírus? Que pecado a gente cometeu, para ter essa penitência? A gente não peca, mas tem que pagar pelo pecado dos outros? É justo? Agora, se vamos sair de casa, cuidado para não passar perto de alguém que esteja resfriado. Pode ser o corona vírus. Se você tem que dar a mão a alguém num cumprimento de respeito, lave as mãos com urgência, esfregando bem durante uns vinte segundos pelo menos, não se esquecendo dos vãos entre os dedos, pois a pessoa cumprimentada pode ter o corona vírus. É justo viver assim?

O problema não é só esse, infelizmente. Um mal, se vier sozinho, a gente ainda consegue enfrentar, mas os males vêm acompanhados. Eles têm parceiros. Têm cúmplices. Um mal nunca vem sozinho, não é? E a gente no meio do fogo cruzado. Se a gente consegue se desviar de um tiro, pode ser apanhado por outro. Um mal atrás do outro. Males físicos e males morais. Os males vêm a cavalo e a gente está a pé.

Agora, se a gente quiser ir ao cinema para assistir a um bom filme, tem que pensar cem vezes. E se no cinema houver alguém com o corona vírus? A gente pensa, e não vai ao cinema. Deixa de assistir a um bom filme. Fica frustrado. Que mal eu fiz, que fico impedido a assistir a um filme de que eu gosto? Se eu quero jantar num restaurante com a minha mulher… será que eu vou? E se o garçom estiver com o tal do corona vírus? E se o casal da mesa ao lado estiver infectado com o corona vírus? Penso, e não vou. Peço uma pizza por telefone. Assim mesmo, tenho medo de que o entregador esteja com o tal do corona vírus. Penso até – ridículo – em desinfetar a pizza, para não ter nenhum problema.

Não dá. Não é justo. Se tenho que ir ao supermercado para comprar o indispensável para viver, tenho que organizar uma estratégia de ida e de volta. Tenho que cumprimentar as pessoas a distância. São pelo menos dois

metros. Quando estiver no caixa, tomar cuidado para não ficar muito próximo da moça que vai me atender. Isso não é vida. Daqui a pouco, se a coisa apertar, vou ter que dormir em quarto separado da minha mulher. Ela pode estar com o corona vírus. Ou eu. E não quero passar esse demônio para ela. É um saco.

Para piorar. Logo chegará o inverno. E esse desgraçado do corona vírus parece que gosta de frio. Ele que não venha se acomodar em mim. Vou estar preparado. Vitamina C pra você, desgraçado!

Bahige Fadel

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Primeira etapa do Anel Viário caminha para finalização

Em muito breve, um dos maiores projetos de mobilidade urbana da história de Botucatu estará concluído. A construção da primeira ...