Funcionária é estuprada dentro de delegacia em SP e agressor é preso

Uma mulher, de 40 anos, foi estuprada dentro da Delegacia Sede de Polícia em Guarujá, no litoral de São Paulo. A vítima é funcionária na unidade, em função não informada, e foi abordada dentro da própria sala de trabalho por um homem, de 52 anos. Ela foi agredida e depois violentada sexualmente. O criminoso foi preso no local por policiais que ouviram os gritos de socorro da vítima.

O crime aconteceu na última quarta-feira (20). O g1 apurou, neste sábado (24), que foi a terceira vez que o homem esteve na delegacia. A primeira, aconteceu na sexta-feira (16), quando a vítima foi informada por colegas de que um desconhecido a procurava.

Na manhã de terça-feira (19), assim que ela chegou para trabalhar, o agressor a esperava com cartas de amor em mãos. A funcionária o atendeu na sala, ele entregou o material, falou coisas sem sentido e deixou a delegacia.

O estupro aconteceu na manhã de quarta, quando o homem voltou à delegacia, entrou na sala da profissional, fechou a porta, a agrediu e a estuprou.

A vítima, em depoimento prestado na própria delegacia sede de Guarujá, contou aos policiais que o agressor passou as mãos nos seios, nádegas e esfregou o órgão genital nela. Ela reagiu e chegou a entrar em luta corporal com o agressor.

Prisão em flagrante

Com base em informações do registro de boletim de ocorrência (BO), assim que a vítima gritou por ajuda, dois policiais se deslocaram até à sala. Eles contaram que a porta estava fechada, mas destrancada. Ao abrirem, eles se depararam com o homem sobre a funcionária caída no chão, e com objetos revirados.

Os agentes prenderam, o homem, que reagiu. Eles tiveram que retirá-lo à força da sala. O delegado determinou a prisão em flagrante do homem, que foi encaminhado à cadeia pública de Guarujá.

Fonte: G1

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.