Hyundai quer colocar seu táxi aéreo nos ceús ainda em 2024

O Hyundai Motor Group quer iniciar os primeiros testes de voo de seu táxi aéreo elétrico até o final do ano, à medida que se junta à corrida para desenvolver a próxima geração de transporte.

A empresa sul-coreana planeja solicitar a certificação do veículo nos Estados Unidos até meados de 2024, com o objetivo de iniciar os voos de demonstração de tecnologia até o final do ano. A informação foi dada por Shin Jaiwon, CEO da Supernal, unidade da Hyundai responsável pelo desenvolvimento da aeronave.

O executivo detalhou o cronograma durante uma apresentação na conferência de tecnologia CES, em Las Vegas. A Hyundai está correndo para alcançar seus concorrentes nessa área nova, mas cada vez mais concorrida, dos eVTOLs – como os veículos voadores são chamados.

A Hyundai está estudando diversas opções de bateria para o veículo, incluindo baterias de lítio-metal e baterias de estado sólido, disse Shin em uma entrevista à Bloomberg na terça-feira. “Estamos trabalhando também em diferentes composições químicas para garantir que possamos aproveitar a tecnologia de bateria mais avançada”.

A empresa está trabalhando agressivamente os táxis aéreos e já investiu quase US$ 1 bilhão na Supernal nos cerca de dois anos desde a fundação da empresa. A marca já inaugurou um polo de engenharia em Irvine, Califórnia, e um novo centro de pesquisa e desenvolvimento no mesmo Estado.

A Hyundai está mirando os Estados Unidos para o lançamento inicial e expandirá eventualmente para Ásia e Europa. A empresa está considerando locais de fabricação em todo os Estados Unidos, mas ainda não tomou uma decisão, disse Shin.

“Poderemos aproveitar a capacidade de fabricação em massa tremenda que o Grupo Hyundai Motor possui”, afirmou ele.

Fonte: Exame

Sobre Régis Vallée

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.