Últimas Notícias

Leandro Donizete e Letícia Cândido são os campeões do Festival Brasil Ride Botucatu

A oitava edição do Festival Brasil Ride Botucatu teve seu encerramento na tarde deste domingo (22). Primeira categoria a largar, logo às 8h da manhã, a Warm Up Pro consagrou como Rei e Rainha da Cuesta Paulista os ciclistas Leandro Donizete (Team Groove) e Letícia Cândido (Specialized Racing BR). Em seguida, foi a vez das categorias E-Bike, Warm Up Sport, Tour e Bike Kids fazerem a festa na competição.

O percurso da etapa decisiva na Pro contou com 57 km e a disputa teve Gustavo Xavier (Specialized Racing BR) e João Paulo Firmino (Multibike/Specialized/LaMaglia) como protagonistas do começo ao fim, tentando reduzir a diferença de tempo para os até então líderes Sherman Trezza (Trinx Brasil Racing) e Leandro Donizete.

A recompensa de todo esforço de Gustavo e João Paulo neste domingo foi garantir lugar no top 5 após a somatória das duas etapas, quarto e quinto colocados, respectivamente. Já na disputa pelo título, melhor para Leandro Donizete, que completou a prova em terceiro lugar e sagrou-se campeão de 2020. Quarto colocado do segundo dia, Halysson Ferreira (Ciclo Cerrado Team) foi o vice-campeão do Warm Up Pro, enquanto Sherman foi o terceiro no geral.

“Estou muito feliz. É difícil descrever o quão grande é a felicidade de ganhar o Festival Brasil Ride Botucatu. Cheguei um pouco cansado por uma forte sequência de provas, mas que no final acabou jogando a meu favor. No primeiro dia, fui segundo, no mesmo tempo que o Sherman Trezza. Hoje, faltando pouco mais de 20 km para o fim, consegui uma fuga no pelotão que eu estava, para terminar à frente do Sherman e ser campeão”, comemorou Donizete.

“Largamos em uma pista de cross country olímpico (XCO) de 5 km aqui em Botucatu, para depois começar a maratona. Isso fez com que a corrida começasse bastante agitada. Gustavo e João Paulo fizeram uma fuga, mas que em teoria não me ameaçava muito pela grande folga que eu tinha para eles. Optei por não ir e ficar no pelotão em que estavam os cinco primeiros na geral. No fim, pouco antes da última subida, eu e o Halysson viemos administrando o ritmo até a chegada. O importante era garantir o título”, finalizou o vencedor.

Jovem revelação do ciclismo nacional, Gustavo Xavier, de apenas 19 anos, tinha tudo para ser o principal candidato ao título do Festival, por estar em grande momento na carreira. E, embora um problema mecânico tenha tirado de suas mãos a vitória na primeira etapa, saiu feliz do evento com o primeiro lugar na corrida decisiva. “Esta foi minha primeira vez no Festival de Botucatu e confesso que achei a estrutura incrível”, disse Xavier.

“Na primeira etapa, o ritmo foi super forte, principalmente nas subidas. Ataquei no fim e rodava com dois minutos de vantagem, até que, a dois quilômetros da linha de chegada, quebrou meu selim. Pedalei em pé e tive muitas câimbras. Por isso, larguei para tudo ou nada. Já no XCO, consegui, junto com o João, escapar e acabamos fazendo a prova em dupla. Venci no sprint e fiquei super feliz com o resultado. Experiência muito boa em um ano atípico”, finalizou o jovem de 19 anos.

Elite feminina – Entre as mulheres, Letícia Cândido fez prevalecer outra fez seu favoritismo diante das adversárias, conquistou outra vitória e, consequentemente, o título de Rainha da Cuesta. Após o grande esforço na primeira etapa para obter a maior vantagem possível, Letícia focou em poupar seu equipamento e também o físico, para terminar pouco mais de quatro minutos à frente de Fabiana Brandão (4Fun Bike Center).

“Essa etapa, por ser a última, a gente corre com o coração para conseguir chegar e ser uma ‘finisher’ neste desafio. Os limites físicos e psicológicos foram outra vez testados pelo Mario Roma (fundador da Brasil Ride), em um evento sensacional. Gratificante chegar no lugar mais alto do pódio depois de dois dias tão intensos. Parabéns à organização por tudo que fez e conseguiu garantir a diversão de todos que vieram para Botucatu”, contou Letícia.

“Estava confortável com um bom tempo de vantagem na liderança, então poupei equipamento. Se na etapa de abertura me esforcei muito, nesta última fui com o que sobrou de energia e coloquei um ritmo confortável. A ideia era chegar e defender a primeira colocação, porque o primeiro dia me desgastou demais”, finalizou a campeã.

E-Bike – Também realizada em dois dias, a E-Bike teve neste domingo a etapa de maratona, com as vitórias de Érick Bruske (Specialized Racing BR) e Rejane Lima (Caça Pedal – MTB), que não só venceram a prova do dia, como também garantiram o título da competição. Para Bruske a diferença foi grande para seus adversários, 3 e 4 minutos à frente do vice-campeão e terceiro colocados, André Luiz Lima e Frederico Barros. Já Rejane levou o título por apenas 11 segundos de diferença para Isabella Ribeiro, que havia vencido o XCO no dia anterior.

Demais categorias – As disputas do Warm Up Sport, Tour e Bike Kids encerraram a edição de 2020 do Festival Brasil Ride neste domingo. Única entre as três que é competitiva, a Warm Up Sport teve cerca de 40 km de extensão e os campeões gerais foram Juliana Regina e Fabio Miguel Ribeiro, em 2h01min11 e 1h34min11, respectivamente. Entre as mulheres, Francielle da Silva e Lucimara completaram o top 3. Já entre os homens, Reginaldo Rosa e Douglas Boeing concluíram as três primeiras posição.

Top 10 do dia:

Masculina
1-Gustavo Xavier (Specialized Racing BR) – 2h14min20
2-João Paulo Firmino (Multibike/Specialized/LaMaglia) – 2h14min26
3-Leandro Donizete (Team Groove) – 2h15min31
4-Halysson Ferreira (Ciclo Cerrado Team) – 2h15mim32
5-Sherman Trezza de Paiva (Trinx Brasil Racing) – 2h17min18
6-Gustavo Freitas (Bike Point) – 2h17min30min527
7-Nicolas Machado (Trinx Brasil Racing) – 2h17min30min896
8-Ricardo Pscheidt (Edro Bikes/Risco Zero/GR Aventura Team) – 2h18min58
9-Alex Malacarne (Specialized Racing BR) – 2h21min36
10-Jhefferson de Paiva – 2h21min46

Feminina
1-Letícia Cândido (Specialized Racing BR) – 2h49min49
2-Fabiana Brandão (4Fun Bike Center) – 2h54min32
3-Ana Luisa Panini (Panini Assessoria e Treinamento) – 3h03min19
4-Luiza Euzébio (Padaria do Pão de Queijo) – 3h05min09
5-Lutecia Azevedo – 3h05min43
6-Paula Gallan (Squadra Oggi) – 3h10min48
7-Dauana Nodari (GR Aventura/Posto 47) – 3h11min46
8-Meire Alcântara (Full Gas Aporta / Brasil Ride) – 3h13min15
9-Luma Diniz (4Fun Bike Center) – 3h29min42
10-Sheila Mendonça (Clube Maringaense de Ciclismo) – 3h31min24

Top 10 acumulado nas elites:

Masculina
1-Leandro Donizete (Team Groove) – 6h01min46
2-Halysson Ferreira (Ciclo Cerrado Team) – 6h02min15
3-Sherman Trezza de Paiva (Trinx Brasil Racing) – 6h03min33
4-Gustavo Xavier (Specialized Racing BR) – 6h07min54
5-João Paulo Firmino (Multibike/Specialized/LaMaglia) – 6h10min45
6-Hugo Prado Neto (OCE) – 6h11min20
7-Alex Malacarne (Specialized Racing BR) – 6h12min32
8-Nicolas Machado (Trinx Brasil Racing) – 6h13min04
9-Ricardo Pscheidt (Edro Bikes/Risco Zero/GR Aventura Team) – 6h14min31
10-Sidnei Fernandes (IMS) – 6h15min05

Feminina
1-Letícia Cândido (Specialized Racing BR) – 7h14min01
2-Fabiana Brandão (4Fun Bike Center) – 7h54min44
3-Ana Luisa Panini (Panini Assessoria e Treinamento) – 8h02min10
4-Luiza Euzébio (Padaria do Pão de Queijo) – 8h03min18
5-Lutecia Azevedo – 8h10min42
6-Paula Gallan (Squadra Oggi) – 8h20min22
7-Meire Alcântara (Full Gas Aporta / Brasil Ride) – 8h27min38
8-Luma Diniz (4Fun Bike Center) – 8h56min56
9-Sheila Mendonça (Clube Maringaense de Ciclismo) – 9h06min87
10-Dauana Nodari (GR Aventura/Posto 47) – 9h19min57

Campeões do Festival Brasil Ride:

Warm Up Pro – Festival Brasil Ride
2020 – Leandro Donizete / Letícia Cândido
2019 – Bruno Lemes / Sofia Subtil
2018 – Hugo Prado Neto / Isabella Ribeiro
2017 – Halysson Ferreira / Lais Saes
2016 – Lukas Kaufmann / Fernanda Prieto
2015 – Hugo Prado Neto / Viviane Favery
2014 – Ricardo Pscheidt / Daniela Genovesi
2013 – Hugo Prado Neto / Daniela Genovesi

Cuidados necessários – Diversas foram as regras definidas pela organização em parceria com a Prefeitura de Botucatu, pensando na segurança dos participantes para a realização do evento. Todos os competidores e estafes tiveram que utilizar as máscaras como equipamento obrigatório. A arena foi montada pensando em evitar aglomerações, devendo ser mantido o distanciamento mínimo de 1,5 m entre as pessoas. E, excepcionalmente neste ano, não houve nem área de alimentação, nem de expositores.

A entrega de kit foi realizada em mais de um local (antecipadamente em Botucatu, São Paulo e Bauru) e em um período maior, com bastante antecedência, e os atletas tiveram que preencher um questionário médico sobre a Covid-19. Largadas em ondas, disponibilização de água, sabão e álcool em gel para a higienização das mãos, a inexistência de guarda-volumes, hidratação com galão d’água servido por estafe devidamente paramentado com EPIs, entre outras regras, também foram definidos pela organização. A lista completa está disponível na página do evento, no site da Brasil Ride.

foto: Fábio Piva – Brasil Ride

 

fonte: Esporte em Botucatu

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Câmara encerra plenárias de setembro com sessões ordinária e extraordinária em 27/09

Os vereadores da Câmara de Botucatu se reúnem nesta próxima segunda-feira (27/09) para deliberar projetos em sessão ordinária e extraordinária. ...