Mick Jagger diz preferir doar herança à caridade em vez de aos filhos

Em entrevista ao “The Wall Street Journal”, o vocalista dos Rolling Stones, Mick Jagger, foi questionado sobre a possibilidade de venda do catálogo da banda pós-1971, e revelou que prioriza as instituições de caridade ao invés de seus herdeiros naturais.

“As crianças não precisam de US$ 500 milhões para viver bem, vamos lá”, disse o artista, acrescentando ainda que a decisão de doar a renda obtida em mais de 50 anos dos Rolling Stones pode ser para “talvez fazer algo de bom no mundo”.
Aos 80 anos, Mick Jagger é pai de 8 filhos, sendo que o mais velho, Karis, tem 52 anos, e o mais novo, Deveraux, apenas 6 anos, após a coreógrafa e bailarina Melanie Hamrick ter engravidado em 2016. Jade, foi a segunda filha do músico e fruto de seu casamento de 8 anos com Bianca Jagger. O artista tem ainda 4 filhos com a atriz Jerry Hall (Elizabeth, James, Georgia May e Gabriel) e um filho com Luciana Gimenez, Lucas Jagger.

Em 2018, Taylor Swift encerrou o contrato com a Big Machine Records, assinando então com a Universal Music. No ano seguinte, a cantora revelou publicamente que o dono de sua antiga gravadora, Scooter Braun, se recusava a vender os trabalhos da artista para ela própria, chegando ainda a revender todo o catálogo de Swift para a empresa Shamrock. A partir de então, deu-se início a era de regravações de todos os álbuns de Taylor Swift.

No começo de setembro, os Rolling Stones anunciaram para o dia 20 de outubro o lançamento do álbum “Hackney Diamonds”, primeiro trabalho da banda completamente inédito desde 2005, e que já tem confirmadas parcerias com Lady Gaga, Stevie Wonder, Paul McCartney, Elton John e Bill Wyman.

Fonte: CNN

Foto: Mick Jagger participa de show em Liverpool09/06/2022REUTERS/Carl Recine

Sobre Régis Vallée

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.