Parceria entre Parque Tecnológico e Unesp lança Mapeamento do Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação de Botucatu

O Parque Tecnológico de Botucatu, o Núcleo de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo FCA/Unesp (INETEC) e o Escritório de Inovação e Tecnologia IBB/Unesp (IBIT) lançam oficialmente a 1ª edição do e-book Mapeamento do Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação de Botucatu.

O e-book consiste em um mapeamento de instituições e de todo o ecossistema de inovação empreendedor de Botucatu. Ele traz oportunidades de compreender a estrutura e a composição do ecossistema local, identificar lacunas para implementar ações direcionadas, identificar as potencialidades e promovê-las, atrair parceiros e investidores e facilitar o networking entre os atores. Nesta 1ª edição, foram 78 iniciativas mapeadas.

Os atores são startups, ambientes de inovação, instituições de ensino superior e de fomento ou apoio ao empreendedorismo, laboratórios e centros de pesquisa, organizações estudantis e da sociedade civil, além das empresas sênior. O report dá visibilidade ao networking das empresas, já que é possível conhecer quais são as empresas e suas tecnologias, e traz mais dinamismo para o ecossistema regional.

À frente do projeto, estiveram a coordenadora do INETEC, Prof. Drª Sílvia Angélica D. de Carvalho, a Prof. Flávia Queiroga Aranha, e os alunos Safira Pataro, estudante de Agronomia, e Gabriel de Miranda Leme, estudante de Física Médica, Daniel Lopes, diretor executivo do Parque Tecnológico, além de Leonardo Curi e Letícia Nunes Alves.

Para a coordenadora do INETEC, Prof. Drª Sílvia Angélica D. de Carvalho, o ecossistema de Botucatu tem crescido de uma maneira significativa nos últimos anos, com o aumento do número de startups, de atores, de ambientes de inovação e de espaços de coworking na cidade. “As pessoas não conhecem ou não sabem os tipos de instituições que temos aqui. Isso dificulta algumas relações e o networking, então a importância do mapeamento é justamente que a gente possa entender o que Botucatu tem, o número de empresas e quais tecnologias elas trabalham, para que elas possam até se conectar entre si e com os institutos de pesquisas, o Parque Tecnológico, as incubadoras, no sentido de promover um número maior de inovações”, complementou.

Com a Profª Sílvia e dois alunos bolsistas, a Prof. Flávia Queiroga Aranha relatou que juntaram forças para construir e finalizar o material. “É o primeiro passo, o pontapé inicial. O material ficou muito interessante, tanto a parte gráfica quanto as informações que tem no e-book. Desejamos vida longa ao material, para inserirmos novas empresas que ficaram fora dessa edição, mas que fazem a sua atuação. Mapear, mostrar e identificar só agrega e fortalece mais o sistema”, finalizou.

Os atores do ecossistema que não participaram da 1ª edição poderão responder ao formulário da edição 2023. Ele será divulgado nas redes sociais do Parque Tecnológico.

O projeto será lançado anualmente para que outras empresas e instituições possam fazer parte do material.

Para mais informações, escreva uma mensagem para: mapeamento.btu@gmail.com

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.