Parecer do Tribunal de Contas, Aluguel Social, Conselho Rural e homenagens são aprovados na sessão plenária de 4/4

A primeira sessão ordinária do mês de abril na Câmara de Botucatu, realizada na segunda-feira (04/04), contava com cinco matérias em pauta. Ao final, todas foram aprovadas. Estes foram os resultados:

O parecer do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo com manifestação favorável à aprovação das contas da Prefeitura relativas ao exercício de 2019 estreou os debates. É responsabilidade do TCE-SP fiscalizar a aplicação dos recursos públicos por parte dos governantes, cabendo também a ele julgar a legalidade destas contas.

Em tribuna, a vereadora Rose Ielo (PDT) explicou como funciona a fiscalização do TCE e as diferenças entre o parecer técnico (que foi desfavorável às contas, segundo ela) e o parecer dos conselheiros, que seria mais “político”. Listando algumas irregularidades apontadas pelo primeiro parecer, ela declarou, por causa disso, que “meu voto é obviamente contra”.

Em seguida, os vereadores Lelo Pagani (PSDB) e Silvio (Republicanos) defenderam a manifestação favorável. O vereador Lelo disse que os governos sempre têm embates com o TCE, resgatando que as contas municipais rotineiramente caem em interpretações divergentes dos conselheiros. Explicando as características “técnicas e políticas do tribunal”, ele continuou defendendo a lisura das contas em apreciação e a coerência nos votos dos demais vereadores. Já o vereador Silvio leu as considerações técnicas apresentadas pela Comissão de Orçamento, Finanças e Contabilidade da Câmara.

Em votação, o parecer foi aprovado por 9 votos a 1, com o voto contrário da vereadora Rose Ielo.

Depois, um segundo projeto não recebeu votação unânime. De volta ao plenário após um pedido de vista na semana passada, o PL 1/2022, do Prefeito, que altera os artigos 2º, 4º, 5º e 6º da lei que dispõe sobre a reestruturação do Programa Aluguel Social, foi aprovado por 8 votos a 2, com votos contrários dos vereadores Rose Ielo e Abelardo (Republicanos).

Em sua fala, a vereadora Rose afirmou só concordar com a mudança no artigo sexto da lei. Como já dito na semana passada, ela é contra os outros artigos pois retiram a atuação da assistência social e o caráter social do programa. Ela chegou a solicitar que o artigo sexto fosse votado em separado, mas o pedido foi negado pelo plenário.

Aprovações unânimes

As demais matérias da pauta foram aprovadas por unanimidade. Sem debate, o PL 5/2022, de iniciativa do Prefeito, regulamentou a composição, as competências e o funcionamento do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável. Mensagem e emenda ao projeto também foram aprovadas. Depois, foi a vez da aprovação de algumas homenagens.

De autoria da vereadora Erika da Liga do Bem (Republicanos), o projeto de decreto legislativo 6/2022 concedeu o Título de Cidadão Botucatuense ao Doutor Marcello Laneza Felicio, que tem como destaque em sua carreira médica inúmeras cirurgias cardíacas e de transplante de coração. Já o projeto de decreto legislativo 5/2022 concedeu a Medalha Reconhecimento Comunitário de Segurança. A entrega da honraria deve ser feita em sessão solene ainda no final deste mês.

No Pequeno Expediente, também foram aprovados de forma unânime 20 requerimentos e seis moções e encaminhadas cinco indicações.

 

Explicação pessoal. No final da sessão, a vereadora Rose Ielo ainda subiu à tribuna por cinco minutos para exercer seu direito de explicação pessoal. Ela rebateu uma fala do vereador Lelo Pagani sobre atos em governos municipais passados, feita durante a discussão do parecer do Tribunas de Contas do Estado de São Paulo.

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.