Últimas Notícias

Definição

Quem é o sábio que se propõe a definir o ser humano? Não é tarefa fácil. Mas não vale essa de dizer que o ser humano é a mais perfeita criação de Deus. Não vale. Mesmo porque, se Deus criou o homem para ser perfeito, alguma coisa aconteceu no meio do caminho, e deu tudo errado. O ser humano está longe… muito longe… infinitamente longe de ser perfeito. Se um dia o homem foi perfeito, como dizem os mais crentes, esqueceu como é. Ou não gostou do que era e resolveu mudar. Deve ter achado que a perfeição era muito enfadonha. Deu uma guinada de 180 graus e foi pro caminho contrário. Haja imperfeição, cara!

Vamos arriscar alguma coisa? Afinal de contas, isto é uma crônica, não uma tese. A gente tem que ser criativo, não exato. A exatidão está para os matemáticos, não para os cronistas. Os cronistas são parecidos com os meteorologistas: às vezes acertam, mas não dá para confiar cegamente nas suas previsões. Está bem, lá vai. É um ser indecifrável… incompreensível… obscuro… paradoxal… Taí. Paradoxal cai bem. O que é o paradoxo? Aparente falta de nexo ou de lógica; contradição; raciocínio aparentemente bem fundamentado e coerente, embora esconda contradições decorrentes de uma análise insatisfatória de sua estrutura interna. Epa! Isso não é meu, é do dicionário. Falta de lógica… contradição… É isso aí.

Quer ver? Quantas vezes você viu, ouviu ou leu alguém defendendo a ideia de que devemos defender a guerra? Quantas? Acho que nenhuma. A não ser algum desvairado como o Quincas Borba, de Machado de Assis, que dizia que a guerra é necessária, porque preserva os mais fortes e elimina os fracos, como se os mais fracos não devessem viver. Hitler deve estar aplaudindo a personagem machadiana, lá no inferno. ‘Ao vencedor, as batatas! ’  Todo mundo aparece para defender a paz. Por acaso, em sua longa ou recente vida, quantas vezes você ficou sabendo que não havia nenhuma guerra no mundo? Quantas? Lá no Oriente, parece que eles colocam na agenda: ‘Amanhã, às 10h, início da guerra contra tal país; no mês que vem, guerra contra outro país; em dezembro, pausa para as festas de Natal e ano novo; retomada da guerra na segunda semana de janeiro (a primeira é para curar a ressaca) ’.

A guerra não precisa ser com balas e bombas. Parece que isso está meio fora de moda. A guerra de palavras é a mais moderna. E mais barata. E sua capacidade de destruição é maior do que as bombas. É que as palavras têm o poder de destruir física e moralmente. E são lançadas a torto e a direito. Indiscriminadamente. E fazem isso em nome da liberdade, da democracia, dos direitos. Como se a gente devesse ter a liberdade ou o direito de destruir os outros, não importando o motivo. É que as pessoas se acham no direito de serem juízes e carrascos, ao mesmo tempo. Julgam e executam, sem darem satisfação a ninguém. Dão-se um poder que não possuem e colocam em prática uma maldade, que aprimoram a cada dia.

BAHIGE FADEL

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Batalha entre brasileiros e estrangeiros agita Super Final do Arena Cross 2021

A Super Final do Arena Cross, neste sábado e domingo (27 e 28/11), promete fortes emoções na pista montada no ...