Últimas Notícias

Filho de paciente se acorrenta em pilar do Hospital Estadual em Bauru

“Meu pai entrou aqui com um formigamento no pé e, agora, está quase vegetando”. A frase é do publicitário Carlos Fendel, 41 anos, que se acorrentou a um pilar na entrada do Hospital Estadual (HE) de Bauru nesta quarta-feira (6). “Só vou sair daqui quando meu pai tiver o tratamento adequado”, completa. A Secretaria de Estado da Saúde, por sua vez, diz que o paciente está recebendo toda a assistência necessária.

Carlos relata que seu pai, Leonildo José Fendel, 68 anos, enfrentou uma “saga” na unidade hospitalar até ser diagnosticado com Síndrome de Guillain-Barré – doença do sistema nervoso, provavelmente de caráter autoimune, marcada pela perda motora e paralisia – mesmo já tendo dando entrada no hospital com suspeita da enfermidade.

“Meu pai teve Covid em outubro e se curou. Mas, ficou com dores e oscilações na pressão. Fomos várias vezes na UPA do Geisel. Até que, no dia 18 de dezembro, ele acordou com o pé formigando. Fiquei preocupado e fomos até a UPA novamente”, conta.

Como Carlos teve um funcionário que foi diagnosticado com a Síndrome de Guillain-Barré, ele conta ter cogitado para o médico a possibilidade de o pai ter a mesma doença. “Falei isso para o médico e ele concordou. Indicou a internação do meu pai e colocou a suspeita da síndrome”.

Leonildo foi internado no HE em 20 de dezembro, mas, de acordo com Carlos, mesmo com a suspeita da Guillain-Barré, o exame de detecção da doença não foi feito. “Eles fizeram vários outros exames, como de sangue, raio-X, ressonância, mas não fizeram o exame para detectar a síndrome. E, nesse período todo, o problema foi ‘subindo’ e meu pai foi perdendo toda a sensibilidade”.

Inicialmente, o exame foi agendado no HE para o dia 11 de janeiro. Como a família considerou o prazo muito demorado, resolveu tentar realizar o diagnóstico na rede particular. “Iríamos fazer o exame particular na segunda-feira (4). Já estava tudo marcado e certo, mas, no sábado (2), a equipe do Hospital Estadual disse que meu pai não poderia ser retirado de lá nessas condições”.

O publicitário conta que, diante da impossibilidade da realização em rede particular e “após muita briga”, o exame foi, enfim, remarcado para a própria segunda-feira (4) no HE. “O exame foi feito e, duas horas depois, veio o laudo de que era a Síndrome de Guillain-Barré”.

Problema resolvido? De acordo com Carlos Fendel, não. “Passaram quase dois dias e não começaram o tratamento dele. Já teve toda a demora para fazer o exame e, agora, essa questão. Por isso, resolvi me acorrentar aqui hoje (ontem). É a única coisa que eu podia fazer ao ver meu pai definhando daquela forma. Também já acionamos um advogado para tentar um mandado de segurança”, conclui.

Até o fechamento desta edição, o homem seguia acorrentado no Hospital Estadual.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde afirma que “Leonildo José Fendel vem recebendo toda a assistência necessária das equipes médicas e de enfermagem, com avaliações diárias de especialistas para melhor tratamento no Hospital Estadual de Bauru”.

De acordo com a pasta, também foram feitos diversos procedimentos, como exame de ressonância magnética e exame de eletroneuromiografia. “Nova avaliação estava programada inclusive para hoje (ontem) com a equipe de neuroclínica. Todas as equipes estão dedicadas para definir o diagnóstico do paciente”, pontua o Estado, complementando que a unidade tem fornecido todas as informações e orientações aos familiares e segue à disposição para esclarecimentos.

fonte: JCNET

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

GCM prende cidadão por não pagamento de pensão alimentícia

No final da tarde de ontem (23) a equipe GAPE (Grupo de Ações Preventivas Especiais) em patrulhamento preventivo comunitário pelos ...