Maceió (AL): Pai é preso suspeito de matar filho de 4 anos envenenado com chumbinho

Um menino de 4 anos morreu após consumir mingau com “chumbinho” em Maceió. O veneno teria sido colocado na comida pelo próprio pai da criança, que, segundo a polícia de Alagoas, confessou o crime, ocorrido na segunda (27). O suspeito foi preso na quarta (29).

A reportagem não localizou a defesa de Matheus Omena Soares dos Santos, 24, que, de acordo com a polícia, teria matado o filho para causar sofrimento à ex-mulher, mãe da criança. Santos chegou a levar a criança para a creche após dar o mingau no café da manhã e, na escola, se desfez do pote do veneno utilizado, aponta a investigação. Sua intenção, conforme os investigadores, seria colocar a culpa da morte do filho na escola.

Na terça (28), dia em que o menino completou 5 anos, foi realizado o enterro. Na ocasião, Santos concedeu entrevistas afirmando que estava abalado e que esperava por justiça. Em imagens de câmeras de segurança, a polícia diz ter encontrado o momento em que o pai joga fora o pote de chumbinho na escola. Confrontado com as filmagens, segundo a polícia, ele teria confessado o crime.

A perícia confirmou que a substância encontrada no frasco foi a responsável pela morte da criança. Ainda de acordo com a polícia, o crime foi premeditado. “Ele planejou o assassinato de seu próprio filho por mais de uma semana. Adquiriu o frasco de chumbinho no valor de R$ 13, utilizando seu próprio cartão”, disse o delegado Gustavo Xavier.

Em seu depoimento, de acordo com a investigação, o pai disse que enquanto o mingau era feito pela avó da criança, ele jogou o veneno na panela e alimentou o filho. Já na escola, a criança passou mal e foi levada a uma UPA (unidade de pronto-atendimento) próxima ao local, mas não sobreviveu.

levou a criança para a creche após dar o mingau envenenado

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.