Bauruense condenada no 8/1 quebra tornozeleira e vira foragida

A bauruense Fátima Aparecida Pleti, 61 anos, é considerada fugitiva pela Justiça após quebrar a tornozeleira que estava usando e deixar o Brasil, segundo informa o portal de notícias UOL. Outros nove condenados ou investigados por participarem dos ataques às sedes dos Três Poderes, em 8 de janeiro do ano passado, também quebraram suas tornozeleiras eletrônicas e fugiram.

No caso da bauruense, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou à Justiça de São Paulo, que posteriormente oficiou o Supremo Tribunal Federal (STF), que “a tornozeleira eletrônica da monitorada Fátima Aparecida Pleti deixou de funcionar, devido a rompimento de cinta”.

A SAP afirma que tenta localizá-la, mas sem sucesso até o momento.

A reportagem do portal identificou dez pessoas que fugiram para o Exterior neste ano pelas fronteiras de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os destinos delas foram a Argentina e o Uruguai.

Fátima Aparecida Pleti foi condenada a 17 anos de prisão por participar de uma tentativa de golpe de Estado e por tentar abolir o estado democrático de direito. Depois do quebra-quebra em Brasília, em janeiro do ano passado, ela foi detida, mas conseguiu liberdade condicional mediante o uso de tornozeleira.

O julgamento de Fátima começou em 22 de março deste ano. Quatro dias depois, ela quebrou sua tornozeleira, segundo a Justiça. A autoridade penitenciária do governo de São Paulo informou o fato ao Judiciário duas semanas depois. No dia seguinte, em 8 de abril passado, o Judiciário estadual informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a quebra da tornozeleira. Não há mandado de prisão público. Dois advogados da empresária procurados pelo UOL não prestaram esclarecimentos após procurados por telefone e mensagem via celular.
Fonte: JCNET
Foto: Reprodução

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.