Home > Destaque > Líderes são a chave da mudança do “mindset” digital nas organizações

Líderes são a chave da mudança do “mindset” digital nas organizações

A tecnologia está impactando no modelo de trabalho das organizações. Um exemplo é a inteligência artificial (IA), possibilitando que máquinas aprendam com experiências, se ajustem a novas entradas de dados e realizem tarefas como seres humanos. Dessa maneira, qualquer negócio tem de se tornar uma empresa de tecnologia e qualquer profissional tem de adotar um ‘mindset’ digital para essa transformação, entendendo e abraçando esse novo cenário.

Uma pesquisa recente da PwC (PricewaterhouseCoopers) aponta que uma das principais preocupações dos CEOs é sobre a questão do avanço e entendimento tecnológico. Para 75% dos executivos do setor, a velocidade das disrupções provocadas pelas novas tecnologias terá impacto significativo nos negócios. Três em cada quatro CEOs dizem estar preocupados com a velocidade dos avanços tecnológicos e do seu impacto no setor e 72% veem a disponibilidade limitada de competências como uma ameaça ao crescimento de uma empresa.

E como fazer para acompanhar essa transformação com uma nova mentalidade? Uma empresa com um ‘mindset’ digital analisa cenários e procura desenvolver novos modelos de negócios, com apoio da tecnologia, preparando-se para tomada de decisões complexas, trazendo o seu cliente para o centro. Essa empresa busca soluções de acordo com a visão do cliente. Por isso, seus profissionais precisam estar preparados para entender como a tecnologia apoia na solução dos problemas dos seus consumidores.

Inclusive, essa questão foi tema do Fórum Econômico Mundial, destacando que, em 2022, nada menos que 54% de todos os colaboradores, gestores e organizações necessitarão de uma reforma significativa e de qualificação profissional. Essa tendência provavelmente causará agitação dentro das equipes, ainda mais com a realidade de muitas empresas que têm no seu quadro de funcionários quatro gerações, incluindo os Millennials,  que são os novos consumidores e a nova força de trabalho nas empresas. Com a informação na palma da mão, eles são muito voláteis, precisando sempre de conversa frequente sobre carreira, entender e ver seu desenvolvimento na empresa e ser desafiados constantemente. Também precisam estar conectados com o propósito da empresa para se manterem. E como lidar com todas essas questões?

Acredito que os líderes serão a chave para nortear esse processo de transformação, incorporando um ‘mindset’ digital nas organizações. Para isso, precisam seguir alguns passos:

1 – Adquirir uma mentalidade digital

2 – Expandir a sua imaginação para novas oportunidade e soluções, desenvolvendo aos poucos novas habilidades

3 – Motivar sua equipe a experimentar coisas novas

4 -Treinar sua força de trabalho: as pessoas precisam estar aptas a resolver problemas de maior complexidade, deixando problemas simples como cadastro, ser resolvido por software. Nesse caso, o ser humano vai agregar valor na tomada de decisão

5 – Investir em plataformas: pense em processos, não em tarefas, procurando conexões mais inteligentes e produtivas

6 – Reaprender constantemente: precisamos de novas competências para cumprir o desafio de humanizar a tecnologia.

Diante desses desafios, não podemos desanimar nem temer a tecnologia, aprendendo a reestruturar, a desorganizar, a inovar e a mudar e, por outro lado, saber organizar, estruturar, padronizar e estabilizar. Precisamos abraçar e capacitar as nossas lideranças, que serão fundamentais nesse processo de transformação digital. Afinal, todo essa mudança vem para ajudar os humanos e não dominá-los.

 

*Cristina Bertolino é gerente de DHO – Departamento de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Shift, empresa de Tecnologia da Informação voltada para medicina diagnóstica e preventiva. Fundada em 1992 e atuante em 22 Estados brasileiros, vem desenvolvendo inovações tecnológicas para fornecer mais eficiência, agilidade e competitividade para o segmento laboratorial no Brasil e na América Latina.

 

Sobre a Shift

A Shift é uma empresa brasileira especializada em Tecnologia da Informação para medicina diagnóstica. Fundada em 1992 e com atuação em 22 Estados brasileiros, na Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai, vem desenvolvendo inovações tecnológicas para fornecer mais eficiência, agilidade e competitividade para o segmento laboratorial no Brasil e na América Latina.

Presente entre as Melhores Empresas para Trabalhar na área da Saúde no Brasil, pelo ranking Great Place to Work, é responsável pelo processamento de mais de 40 milhões de atendimentos e cerca de 280 milhões de análises clínicas por ano. Com mais de 20 mil usuários do sistema, a empresa tem apresentado crescimento anual de 20%, nos últimos seis anos.

Possui equipes multidisciplinares compostas por analistas de negócios, desenvolvedores, biomédicos e consultores, que criam e administram o sistema de informação, integrações e automação de equipamentos, que dão segurança e inteligência aos processos, do começo ao fim da operação do laboratório. Cerca de 80% de seus clientes possuem pelo menos uma das principais certificações de qualidade do País, o que demonstra a relevância e exigente perfil do grupo de laboratórios que contam com as soluções da companhia.

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Encontro discutirá como a Comunicação pode ser usada estrategicamente pelas empresas na era digital

Em um mundo cada vez mais conectado, as empresas de todos os tamanhos disputam os mesmos clientes, seja no mundo ...