Presidente Lula retornou ao Rio Grande do Sul neste domingo (5)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva retorna ao Rio Grande do Sul neste domingo (5), com uma comitiva de autoridades dos três poderes. Lula vai tratar de medidas de socorro ao estado em razão das fortes chuvas que causam uma enchente histórica nas cidades gaúchas.

Além de ministros de Estado, os presidentes da Câmara, Arthur Lira, do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, acompanham Lula.

Ainda estão com o presidente a primeira-dama, Janja Lula, e os ministros Rui Costa (Casa Civil), José Mucio (Defesa), Fernando Haddad (Fazenda), Renan Filho (Transportes), Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos), Camilo Santana (Educação), Nísia Trindade (Saúde), Luiz Marinho (Trabalho e Emprego), Wellington Dias (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima), Jader Filho (Cidades), Márcio Macêdo (Secretaria-Geral) e Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais).

Também seguem para o Rio Grande do Sul Bruno Dantas (presidente do Tribunal de Contas da União) e o comandante do Exército Brasileiro, general Tomás Paiva.  O grupo se une aos ministros Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social) e Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional), que já estão no estado.

O presidente já esteve Rio Grande do Sul na última quinta-feira (2/5), onde se reuniu com autoridades locais e afirmou que não faltarão recursos federais para atender o estado. Lula também determinou foco 24 horas por dia no socorro aos gaúchos.

Saiba Mais: Em visita ao RS, Lula determina foco 24 horas por dia no socorro aos gaúchos

Após o retorno do presidente Lula da primeira visita ao estado, na quinta-feira (2), o Governo Federal instalou uma Sala da Situação no Palácio do Planalto para concentrar as equipes de 17 ministérios e das Forças Armadas, além de outros órgãos,  que atuam no apoio ao Rio Grande do Sul.

Entre as ações do Governo Federal ao estado atingido pelas fortes chuvas estão salvamentos e auxílio humanitário, envio de kits de medicamentos, convocação de profissionais de saúde, desbloqueios de estradas, reconstrução de estruturas, monitoramento de barragens, recuperação da transmissão de energia, articulação com empresas do setor de logística e 32 helicópteros empregados nos trabalhos de resgate.

Saiba Mais: Governo amplia presença no Rio Grande do Sul

Balanço – De acordo com a última atualização do governo estadual, são 329 municípios atingidos e já são 686.482 pessoas afetadas. O estado contabiliza 79.253 desalojadas e outras 14.447 pessoas em abrigos, com 72 mortes, 150 feridos e 103 desaparecidas.

Combate às Fake News –  Desde que as fortes chuvas começaram a causar destruição no Rio Grande do Sul, passaram a circular nas redes dados inverídicos sobre ações e investimentos e notícias que insinuam uma suposta ausência do Governo Federal no estado. Para combater a onda de desinformação, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República criou uma página especial que reúne cada etapa, quase em tempo real, das ações integradas para enfrentar as consequências das inundações que vitimou os gaúchos.

Saiba Mais: Governo Federal aciona mecanismos legais e cria página para evitar fake news sobre ajuda aos gaúcho

Fonte: Agência Gov, com informações do Planalto

Foto: Ricardo Stuckert 

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.