Invasor do 8/1 até sacou dinheiro no Planalto diante de segurança falha

As falhas de segurança durante os ataques bolsonaristas à sede dos três Poderes, em 8 de janeiro, permitiram inclusive a um invasor sacar tranquilamente dinheiro em um caixa eletrônico no 3º andar do Palácio do Planalto, o mesmo onde fica o gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Imagens do circuito interno do palácio mostram o homem às 15h54 em frente à máquina, acessando a sua conta bancária por meio de biometria (polegar), sacando a quantia em dinheiro e contando as notas duas vezes, antes de guardar no bolso.

Outro vândalo, 21 minutos antes, havia derrubado no chão o relógio que dom João 6º trouxe ao Brasil. A relíquia, que fica a poucos metros do caixa eletrônico e já estava danificada, havia sido posta no lugar novamente por outros invasores. Momentos mais tarde, ela seria jogada ao chão pela segunda vez.

As imagens das câmaras foram divulgadas pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência após o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), revogar o sigilo.

Por elas, é possível ver uma sequência de falhas de segurança, a principal delas o pouco e desorientado efetivo de agentes do GSI que estava no local e que pouco fez para evitar o quebra-quebra.

Outros trocavam mensagens e visualizavam redes sociais. Alguns fumavam e outros tantos faziam lives e selfies em locais específicos, incluindo em frente ao relógio danificado.

Único exemplar da peça no mundo todo, o objeto foi dado de presente a dom João 6º pela corte de Luís 14, da França. A obra foi desenhada por André-Charles Boulle e fabricada pelo relojoeiro francês Balthazar Martinot no fim do século 18, poucos anos antes de ser trazida ao Brasil.

Fonte: Sampi.net.br

Sobre FERNANDO BRUDER TEODORO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.