Artigos do Autor: FERNANDO BRUDER TEODORO

Ação contra a dengue neste domingo, dia 19 será no Bairro da Mina

E os trabalhos no combate ao mosquito Aedes aegypti não param. A prefeitura de Botucatu, através da Vigilância Ambiental em Saúde, fará a ação de bloqueio de criadouros do mosquito neste domingo, 19, no Bairro da Mina.

Servidores de diversas secretarias, além dos agentes da VAS e da Guarda Civil Municipal, coordenados pela Vigilância Ambiental em Saúde, visitarão os domicílios fazendo uma busca ativa dos criadouros, como também de mosquitos ativos que possam transmitir a dengue, além de orientações de como prevenir a proliferação. Apesar de todo o trabalho realizado desde o início deste ano, as equipes ainda encontram larvas de mosquito em muitas residências.

A população é essencial no combate a doença, primeiro vistoriando seu quintal, eliminando criadouros do mosquito e permitindo as ações de combate por parte dos agentes da Prefeitura.

Neste ano de 2024 já foram confirmados 13482 casos da doença.

A VAS orienta a população a procurar atendimento médico ao aparecimento de sintomas como febre alta, dor de cabeça, dor no fundo dos olhos, dores musculares, manchas vermelhas na pele, cansaço e indisposição, e nunca se automedicar.

Docente do IBB participa de palestra sobre Educação Ambiental

No dia 20 de maio, das 10h às 12h, ocorre, via Live pelo Youtube, a palestra “Educação Ambiental para alcance da Agenda de 2030”.

Organizada pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP), conta com 05 palestrantes convidados, entre eles, o professor do Departamento de Biofísica e Farmacologia do Instituto de Biociências (IBB) da Unesp – Câmpus de Botucatu. Além de docente, Mário é Presidente da Fundação do IBB (Fundibio).

Segundo o professor Mário, os projetos de extensão da Unesp merecem destaque. “Trabalhamos para que a sociedade tenha atuação direta em atividades extensionistas que visam o cuidado com o meio ambiente, promovendo a dialógica entre universidade e a população, para que os projetos sejam realizados de forma conjunta”, afirma.

Voltada para agentes políticos, servidores públicos e para sociedade em geral, a palestra foi criada com o intuito de conscientizar ainda mais os participantes sobre o meio ambiente e a importância na sociedade, abordando, inclusive, temas como: desenvolvimento sustentável, educação ambiental, e ainda os casos práticos relacionados ao assunto no Estado de São Paulo, assim como iniciativas e oportunidades a serem exploradas. Ao final de todas as palestras transmitidas, os participantes receberão um formulário de avaliação no Ambiente Virtual de Aprendizagem (Ava), que deverá ser preenchido de modo obrigatório para liberação do certificado. Orientações mais específicas sobre o assunto serão disponibilizadas no local e no chat da live no canal da Escola Paulista de Contas Públicas (EPCT) no Youtube.

Os interessados podem acessar o link: https://streaming.tce.sp.gov.br/lives/ e participar.

Cardiologista do HCFMB alerta para alto índice de morte por doenças cardiovasculares

Dados recentes divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) revelam que cerca de 1.000 pessoas morrem por dia no Brasil em virtude de doenças cardiovasculares. Isso representa aproximadamente 400 mil mortes no país, o que torna este tipo de enfermidade a maior causadora de óbitos no Brasil.

Infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC) são as doenças que mais matam no Brasil e no mundo. Doenças degenerativas do sistema nervoso, como alguns tipos de demência, e o câncer também têm em comum os mesmos fatores de risco das doenças cardiovasculares mais conhecidas.

“Chama a atenção o número de indivíduos jovens que têm sido acometidos por estas doenças, o que está ligado, principalmente, ao estilo de vida inadequado (sedentarismo, alimentação desregrada, tabagismo e abuso de álcool), o que difere dos indivíduos mais idosos, em que são observadas mais frequentemente as doenças crônicas”, lembra o médico cardiologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), Fábio Cardoso Carvalho.

Fatores de risco

Em relação às doenças cardiovasculares, há divisão em duas classes: os fatores não-modificáveis, que contemplam idade, sexo e fatores hereditários, e os fatores de risco modificáveis, que dizem respeito às doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão arterial (que é o principal fator de risco para doença cardiovascular), diabetes do tipo 2, dislipidemia e obesidade,

“Devemos lembrar que poucas horas de sono e o estresse crônico também são importantes condições que podem colaborar com os fatores de risco chamados ““ clássicos”” para a ocorrência de doenças cardiovasculares”, afirma Carvalho.

Estimativas

Os dados nacionais apontam mais de 1.100 mortes por dia, mais de 45 por hora, uma morte a cada 90 segundos. As doenças cardiovasculares causam o dobro de mortes em comparação a todos os tipos de cânceres juntos, duas vezes mais que todas as causas externas (acidentes e violência), três vezes mais que doenças respiratórias e mais de seis vezes que todas as infecções.

“Os indivíduos que sobrevivem a estes eventos terão maior incidência de insuficiência cardíaca, doenças renais, doenças degenerativas, câncer e outras doenças crônicas que irão afetar profundamente sua qualidade de vida e poderão desencadear uma série de outras complicações futuras que são potencialmente fatais”, pontua Fábio.

Cuidados e conscientização

A Associação Americana do Coração enumerou oito fatores relacionados à saúde cardiovascular. São quatro comportamentos ideais: dieta adequada, atividade física regular, sono de qualidade e ausência do tabagismo. E outros quatro fatores ideais, como índice de massa corpórea menor que 25 kg/m², colesterol total menor que 200 mg/dL, glicemia de jejum menor que 100 mg/dL, pressão arterial sistólica menor que 120 mmHg e diastólica menor que 80 mmHg.

“É importante também analisar outros fatores individuais como saúde mental, presença de doenças, como ansiedade e depressão e o contexto familiar, cultural, econômico e social do indivíduo”, frisa o cardiologista do HCFMB.

Ainda segundo Fábio, cerca de 70% destas mortes poderiam ser evitadas com prevenção adequada e medidas terapêuticas. “Campanhas de conscientização sobre o problema, com informação e educação sobre o tema, podem ajudar a mudar este grave cenário”, finaliza.

Avaré: Lei obriga estabelecimentos e veterinários denunciarem casos de maus-tratos

A Câmara de Vereadores de Avaré aprovou o projeto de lei que estabelece a obrigação dos estabelecimentos veterinários, quando constarem indícios de maus-tratos nos animais atendidos, comunicar o fato às autoridades competentes ou à Polícia Civil. A propositura, de autoria do vereador Hidalgo André de Freitas (PSD), foi votada na sessão ordinária de terça-feira, 15 de maio, e aprovada por unanimidade.

Com a aprovação da Lei, os hospitais veterinários, clínicas, consultórios, pet shops e demais estabelecimento de cuidado aos animais deverão informar imediatamente os maus-tratos às autoridades competentes.

A comunicação do fato deverá conter a qualificação com nome, endereço e contato do acompanhante do animal no momento do atendimento. Também deverá constar o relatório do atendimento prestado contendo a espécie, raça e características físicas do animal; descrição de sua situação de saúde na hora do atendimento e os respectivos procedimentos adotados.

O estabelecimento que descumprir o estabelecido na lei aprovada poderá responder pela legislação federal dos Crimes Ambientais. Segundo a justificativa do Projeto de Lei, mesmo com o avanço na proteção dos animais, muitos episódios de maus-tratos são divulgados.  “O abandono, a negligência e a crueldade pura e simples praticada em face dos animais devem ser combatidas de todas as maneiras possíveis”, diz a justificativa do PL.

No texto ainda é destacado que é imprescindível que o município de Avaré promova a luta pela defesa e bem-estar dos animais.

A proposta recebeu parecer favorável da Divisão Jurídica da Câmara de Avaré e das comissões de Constituição, Justiça e Redação; Finanças, Orçamento e Direito do Consumidor; e Serviços, Obras e Administração Pública.  O texto segue agora para sanção e publicação do Poder Executivo.

Fonte:: A Voz do Vale

Foto: Divulgação

Tabagismo responde por 80% das mortes por câncer de pulmão no Brasil

Estudo feito por pesquisadores da Fundação do Câncer aponta que o tabagismo responde por 80% das mortes por câncer de pulmão em homens e mulheres no Brasil. O trabalho foi apresentado nesta quinta-feira (16) pela fundação no 48º encontro do Group for Cancer Epidemiology and Registration in Latin Language Countries Annual Meeting (GRELL 2024, na sigla em inglês), na Suíça.

Em entrevista à Agência Brasil, o epidemiologista Alfredo Scaff, consultor médico da Fundação do Câncer, disse que o estudo visa a apresentar para a sociedade dados que possibilitem ações de prevenção da doença. “O câncer de pulmão tem uma relação direta com o hábito do tabagismo. A gente pode dizer que, tecnicamente, é o responsável hoje pela grande maioria dos cânceres que a gente tem no mundo, e no Brasil, em particular.”

Cigarro eletrônico

Alfredo Scaff acredita que o cigarro eletrônico poderá contribuir para aumentar ainda mais o percentual de óbitos do câncer de pulmão provocados pelo tabagismo. “O cigarro eletrônico é uma forma de introduzir a juventude no hábito de fumar.” O epidemiologista lembrou que a nicotina é, dentre as drogas lícitas, a mais viciante. O consultor da Fundação do Câncer destacou que a ideia de usar cigarro eletrônico para parar de fumar é muito controvertida porque, na maioria dos casos, acaba levando ao vício de fumar. “E vai levar, sem dúvida, ao desenvolvimento de cânceres e de outras doenças que a gente nem tinha.”

O cigarro eletrônico causa uma doença pulmonar grave e aguda, denominada Evali, que pode levar a óbito, além de ter outro problema adicional: a bateria desse cigarro explode e tem causado queimaduras graves em muitos fumantes. “Ele é um produto que veio para piorar toda a situação que a gente tem em relação ao tabagismo.”

Gastos

O estudo indica que o câncer de pulmão representa gastos de cerca de R$ 9 bilhões por ano, que envolvem custos diretos com tratamento, perda de produtividade e cuidados com os pacientes. Já a indústria do tabaco cobre apenas 10% dos custos totais com todas as doenças relacionadas ao câncer de pulmão no Brasil, da ordem de R$ 125 bilhões anuais.

“O tabagismo não causa só o câncer de pulmão, mas leva à destruição dos dentes, lesões de orofaringe, enfisema [doença pulmonar obstrutiva crônica], hipertensão arterial, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral [AVC] ou derrame. Ele causa uma quantidade enorme de outras doenças que elevam esses valores significativos de gastos do setor público diretamente, tratando as pessoas, e indiretos, como perda de produtividade, de previdência, com aposentadorias precoces por conta disso, e assim por diante”, afirmou Alfredo Scaff.

Para este ano, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima o surgimento no Brasil de 14 mil casos em mulheres e 18 mil em homens. Dados mundiais da International Agency for Research on Cancer (IARC), analisados por pesquisadores da Fundação do Câncer, apontam que, se o padrão de comportamento do tabagismo se mantiver, haverá aumento de mais de 65% na incidência da doença e 74% na mortalidade por câncer de pulmão até 2040, em comparação com 2022.

O trabalho revela também que muitos pacientes, quando procuram tratamento, já apresentam estágio avançado da doença. Isso ocorre tanto na população masculina (63,1%), como na feminina (63,9%). Esse padrão se repete em todas as regiões brasileiras.

Sul

O estudo constatou que na Região Sul o hábito de fumar é muito intenso. O Sul brasileiro apresenta maior incidência para o câncer de pulmão, tanto em homens (24,14 casos novos a cada 100 mil) quanto em mulheres (15,54 casos novos a cada 100 mil), superando a média nacional de 12,73 casos entre homens e 9,26 entre mulheres. “Você tem, culturalmente, um relacionamento forte com o tabagismo no Sul do país, o que eleva o consumo do tabaco na região levando aí, consequentemente, a mais doenças causadas pelo tabagismo e mais câncer de pulmão”, observou Scaff.

Apenas as regiões Norte (10,72) e Nordeste (11,26) ficam abaixo da média brasileira no caso dos homens. Já em mulheres, as regiões Norte, Nordeste e Sudeste ficam abaixo da média brasileira com 8,27 casos em cada 100 mil pessoas; 8,46; e 8,92, respectivamente.

O Sul também é a região do país com maior índice de mortalidade entre homens nas três faixas etárias observadas pelo estudo: 0,36 óbito em cada 100 mil habitantes até 39 anos; 16,03, na faixa de 40 a 59 anos; e 132,26, considerando maiores de 60 anos. Entre as mulheres, a Região Sul desponta nas faixas de 40 a 59 anos (13,82 óbitos em cada 100 mil) e acima dos 60 anos (81,98 em cada 100 mil) e fica abaixo da média nacional (0,28) entre mulheres com menos de 39 anos: 0,26 a cada 100 mil, mesmo índice detectado no Centro-Oeste, revela o estudo.

Em ternos de escolaridade, o trabalho revelou que, independentemente da região, a maioria dos pacientes com câncer de pulmão tinha nível fundamental (77% para homens e 74% para mulheres). A faixa etária de 40 a 59 anos de idade concentra o maior percentual de pacientes com câncer de pulmão: 74% no caso dos homens e 65% entre as mulheres.

Embora as mulheres apresentem taxas mais baixas de incidência e de mortalidade do que os homens, a expectativa é que mulheres com 55 anos ou menos experimentem diminuição na mortalidade por câncer de pulmão somente a partir de 2026. Já para aquelas mulheres com idade igual ou superior a 75 anos, a taxa de mortalidade deve continuar aumentando até o período 2036-2040.

Fonte: Agência Brasil

Correios suspendem recebimento de roupas para envio ao Rio Grande do Sul

Os Correios suspenderam o recebimento de doações de roupas para as pessoas atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Segundo a empresa, os itens de vestuário correspondem a 70% das doações e, justamente em em razão disso, a estatal pede que a população priorize outras produtos, como água, alimentos de cesta básica, ração para pets e itens de higiene pessoal.

Apesar da suspensão específica para as roupas, os Correios ainda estão recebendo doações em todas as mais de 10 mil agências em todo o Brasil.

Os envios gratuitos de doações para o RS começaram na semana passada e, até essa quarta-feira (15/5), 11 mil toneladas já haviam sido recebidas. Desse número, 3 mil toneladas já foram entregues para a Defesa Civil de Porto Alegre.

Ao doar é importante facilitar o trabalho da triagem entregando as cestas básicas já lacradas em caixas e  os itens de higiene pessoal devem ser reunidos em kits. Também é importante nomear os produtos doados e colocá-los em caixas ou sacos que possam ser lacrados, além de observar a vedação e tomar cuidado para não embalar os donativos em caixas ou sacolas rasgadas.

Quais são os itens mais necessários agora?

  • Água e itens de cesta básica (verifique a validade de todos os itens e não doe se estiverem vencidos ou perto do vencimento);
  • Fraldas (geriátrica e infantil);
  • Itens de higiene pessoal (escova de dente, creme dental, sabonete, absorventes, papel higiênico);
  • Itens de limpeza (secos, como sabão em barra, sacos de lixo, panos de limpeza, luvas, escova de limpeza, esponjas).

Emergência climática

O número de mortos pelas enchentes que atingem as cidades do Rio Grande do Sul já chegaram a 151, conforme boletim da Defesa Civil divulgado na manhã desta quinta-feira (16/05). Os afetados pela catástrofe já chegam a mais de 77 mil desabrigados e 538 mil desalojados.

 

 

Polícia Civil prende Homem acusado de maus-tratos contra cavalos e uma mula em Botucatu

Operação Policial realizou nesta quinta-feira (16), pelo Departamento de Proteção Animal (DEPA), da Delegacia Seccional de Botucatu, mais um caso de maus tratos-animais, os investigadores verificaram a denúncia em uma propriedade rural.

No local foi constato que três animais, sendo dois equinos é um asinino, que estavam sem água e comida com escore corporal baixíssimo, com alta infestação de carrapatos, sendo comprovado a situação de maus tratos. O investigado foi preso em flagrante e apresentado à Autoridade Policial para as medidas de Polícia Judiciária.

Os animais foram apreendidos e encaminhados para tratamento junto ao Canil Municipal.

Conforme consta no SPJ n° GS4811-1/2024

 

 

 

Bauru: Em ação contra tráfico, homem morre em confronto com a Polícia Militar

Em uma operação realizada contra o tráfico de drogas, um rapaz de 18 anos morreu baleado após confronto com policiais militares da Companhia de Força Tática, na noite desta quarta-feira (15), em Bauru. Ele foi atingido por volta de 21h15 por quatro disparos, após atirar contra a equipe da corporação, em uma área de mata fechada do Parque Real, consta de boletim de ocorrência (BO).

Segundo o registro, os policiais faziam cerco em uma região utilizada por traficantes, sendo que, por essa razão, pediram reforço. Eles se posicionaram próximo a uma cerca, trecho apontado como ponto de fuga dos suspeitos de venderem droga. Ainda segundo o BO, Thayllãn Henrique Barbosa da Silva, que completaria 19 anos na terça-feira (21), estava correndo em direção ao local, recebeu ordem de parada, não obedeceu e efetuou dois disparos em direção à equipe, que revidou. Um dos sargentos atirou três vezes e o soldado, quatro.

Thayllãn sofreu quatro perfurações no peito, aponta documento registrado no plantão da Polícia Civil. De acordo com ele, uma equipe médica foi acionada para fazer o atendimento, mas o rapaz não resistiu e morreu no local. Com ele, segundo a PM, foi apreendida uma mochila preta com porções de cocaína, crack e maconha, além de uma pochete contendo R$ 1.529 em notas variadas. Consta ainda que a arma utilizada pelo jovem, um revólver calibre 38 da marca Taurus, com numeração raspada, foi apreendida com seis munições. Duas estavam deflagradas e quatro intactas.

A Força Tática também apresentou as armas dos dois policiais, como é praxe neste tipo de ocorrência. Todos os objetos foram encaminhados para o Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Fonte: JCNET

Foto: Reprodução