Cineclube Paratodos exibe filmes gratuitos em mostra no Cuesta Brasil Festival

De 28 a 30 de julho acontece o Cuesta Brasil Festival, no Shopping Park Botucatu, evento que reúne arte, cultura e gastronomia no mesmo lugar. E nas manhãs de sábado (29) e domingo (30), o Cineclube Paratodos estará na programação exibindo cinco títulos de diretores botucatuenses, produzidos na cidade e nunca exibidos em uma sala de cinema. Retirada antecipada e totalmente gratuita de ingressos pode ser feita na Pinacoteca e no Teatro Municipal a partir de terça, dia 25/07.

Este ano, o Cineclube Paratodos permanece com as sessões quinzenais regulares no Garage Espaço de Cultura e no Quiprocó. Em abril, mês de comemoração do aniversário da cidade, realizou a II Mostratudo Paratodos – onde durante três dias foram exibidos seis documentários botucatuenses em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

Agora no mês de julho, no Cuesta Brasil Festival, no Shopping Park Botucatu, exibe pela primeira vez em tela de cinema quatro documentários e um curta de ficção, todos produzidos e dirigidos na cidade. Dois deles foram exibidos na Mostratudo e serão exibidos novamente: Bar São Francisco de Chada e Nossa Botucatu de Hernani Donato.

As sessões são gratuitas e os ingressos podem ser retirados a partir de terça-feira, 25/07 nos pontos de distribuição na Pinacoteca Fórum das Artes e Teatro Municipal.

Para mais informações: (14) 3880-5555.

Consulte a programação completa do Cuesta Brasil Festival no Instagram do Shopping Park Botucatu @shoppingbotucatu.

Sobre o Cineclube Paratodos

O Cineclube nasceu em 2005, do encontro de jovens da cidade de Botucatu interessados na sétima arte, que se reuniam semanalmente em lugares diferentes da cidade, para assistir e discutir filmes fora do circuito comercial. O nome Paratodos foi escolhido pelo grupo em referência ao Teatro Municipal e importante Praça da cidade, ambos chamados popularmente de Paratodos.

Em 2006, com apoio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Cultura, e da iniciativa privada, o Cineclube Paratodos, produziu a Mostratudo Paratodos. Em 2022, em parceria com o projeto Bem te vi, produziu o LAJE Audiovisual Paratodos: Capacitação de Multiplicadores em Educação Audiovisual na Pinacoteca Fórum das Artes.

PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA DO CINECLUBE PARATODOS

Dia: 29/07

Horário:  10h

Mão Dupla (Baga Defente, 10 min, Botucatu)

Rio Pardo: caminhos e memórias (Pedro Barroca e Olindo Estevam, 34 min, Botucatu)

Horário:  11h

A Nossa Botucatu (Jovano Tortorella e Diego Taboda, 70 min, Botucatu)

Dia: 30/07

Horário:  10h

Mão Dupla (Baga Defente, 10 min, Botucatu)

Boa Vizinhança (Daniel Kojak, 70 min, Botucatu)

Horário:  11h30

Bar São Francisco de Chada (Jovano Tortorella e Diego Taboda, 70 min, Botucatu)

PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA DO CINECLUBE PARATODOS

(COM SINOPSE)

Dia: 29/07

Horário:  10h

Mão Dupla

Baga Defente, 10 min, Botucatu

O passado é um passageiro inquieto. Um homem dirige pelas ruas da cidade e fala ao telefone enquanto tenta encontrar um caminho para seguir em frente.

Rio Pardo: caminhos e memórias

Pedro Barroca e Olindo Estevam, 34 min, Botucatu

No alto da Cuesta paulista nasce o Rio Pardo, que banha e abastece várias cidades ao longo dos seus 265 km até desembocar no rio Paranapanema. O documentário busca um olhar afetivo para o rio que hoje passa por intensas transformações como a construção de uma represa no município de Botucatu, a 14 km de sua nascente, e levanta importantes questões sobre a utilização e preservação das águas e das terras em seu entorno. Além disso, se propõe como um registro histórico de uma geografia em intensa transformação.

Horário:  11h

A Nossa Botucatu de Hernani Donato

Jovano Tortorella e Diego Taboda, 70 min, Botucatu

Um historiador, um memorialista. Membro da Academia Paulista de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico, o escritor, historiador, jornalista, professor, tradutor e roteirista Hernani Donato, registrou com sua poética particular os vários momentos de transformação que passava a chamada “Boca do Sertão”. Assim, ele nos revela as nuances de todo um século de história da cidade, rememorando episódios e revelando perspectivas de uma sociedade cuja mentalidade estava em plena mutação.

Dia: 30/07

Horário:  10h

Mão Dupla

Baga Defente, 10 min, Botucatu

O passado é um passageiro inquieto. Um homem dirige pelas ruas da cidade e fala ao telefone enquanto tenta encontrar um caminho para seguir em frente.

Boa Vizinhança

Daniel Kojak, 70 min, Botucatu

Nas décadas de 90 e 00, na cidade de Botucatu, um grupo de jovens entre 12 e 18 anos, cansados do marasmo cultural, de bandas covers com repertório repetitivo que se apresentavam nas baladas e impulsionados pelas novidades da cultura da época, iniciaram um movimento de bandas autorais de punk, hard core e as mais diversas vertentes do metal. O movimento ocupou escolas, praças públicas e empreendimentos culturais da cidade com festivais, organizados pela própria juventude da época, que levavam centenas de jovens. O documentário “Boa Vizinhança” conta a história de como esse movimento surgiu e como foi viver dentro desta “cena” que hoje vive na nostalgia de centenas de botucatuenses que puderam vivenciar a época.

Horário:  11h30

Bar São Francisco de Chada

Jovano Tortorella e Diego Taboda, 70 min, Botucatu

Anunciadina Grande era a dona do bar no distrito de Vitoriana, a meio caminho entre Botucatu e seu balneário, o Rio Bonito. Conhecida por todos como Chada, representava a encarnação da “mulher à frente de seu tempo”. Destemida, enérgica, moderna (a primeira a ousar usar calças compridas) e colecionadora de um rosário de amizades, ela foi responsável por ajudar a maior obra da época no interior paulista: a represa da Barra Bonita.

Sobre Régis Vallée

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.